17 de nov de 2013

All That Matters - Capítulo 11 ''Confession ''

''Porque eu te quero muito mais, com certeza, você é o 
meu ponto de paz.''

Quando voltamos para minha casa, decidimos começar pela sala. Cobrimos os sofás  e as estantes com alguns plásticos que eu encontrei no porão para não sujar nada.
Tiramos o papel de parede e começamos por ali colocando um novo, com uma estampa totalmente linda e rústica como minha mãe adorava.
Justin tirou sua camisa e deixou seu corpo a mostra , quero dizer, seu abdômen super definido! É normal anjos serem assim ?
Ri com meus pensamentos e peguei o pincel enquanto ele tinha pego o grande rolo começando a passar a tinta no alto da parede.
Acho que esse dia renderia muito, não?

- O que você esta olhando?-Justin perguntou enquanto eu analisava uma mancha, ou uma tatuagem em sua cintura.
-Isto é uma tatuagem?-apontei para onde eu olhava. Ele fez que sim com a cabeça.
-Foi a primeira coisa humana que fiz.-ele sorriu.-É um pássaro. Gostou ?
E como!-pensei.
-Sim.-disse desviando o olhar do dele.
Como pode ser tão lindo assim ?
Até aquela tatuagem que parecia proibida , me deixava louca.
Meu Deus, me ajude, eu não posso querer o Justin desta forma, é errado, ele é um anjo.
-Ei,-senti os braços de Justin me abraçarem por trás.-o que foi ?
-Na-a-d-a.-gaguejei, ele riu.
-Porque esta falando assim então amor? O que foi ?-me virei de frente para ele e encarei aquele belo par dourado em sua face.
-Você é muito lindo Justin, só isso.
-Você também é Mad.-ele acariciou minha bochecha devagar e sorriu ao fazer isso.
-Seu corpo é ... incrível.-disse meio confusa com as palavras.-Quer dizer ... eu nunca tinha visto um corpo como o seu.
Ele riu e me selou rapidamente.
-Mad, Mad, Mad ... é melhor continuarmos pintando essas paredes.-ele se afastou de mim e eu ri, pegando meu pincel novamente e continuando o que estava fazendo.
Justin parece ficar encabulado quando eu demonstro que ele me atrai.

-Ficou tudo maravilhoso!-disse dando um abraço apertado em Justin enquanto ele analisava o trabalho que tínhamos terminado. Meu quarto, o quarto dos meus pais e a sala tinham ficado maravilhosos. Justin me ajudou a mudar alguns móveis de lugar, e isso deixou a casa totalmente mudada.
-Bom trabalho Mad.-ele beijou minha bochecha passando seus braços em volta da minha cintura.
-Vamos lá pra fora nos lavar?-perguntei sentindo o cheiro de tinta vir de Justin. Estávamos coloridos de tanta tinta em nossos corpos.
-Não é melhor nos lavarmos no banheiro? Os vizinhos vão comentar ...
-Vai sujar todo o banheiro Justin, e deixe que falem, não vamos fazer nada de mais ...
-Mad....
-Ah Justin para, vamos logo vai.-peguei em sua mão e saímos para o quintal. Fui até a mangueira e a liguei. Justin parecia preocupado com os vizinhos mas me olhava com um olhar divertido nos olhos.
-Posso me lavar primeiro ?-ele perguntou. Eu ri.
-Mas é claro!-mirei a mangueira nele e comecei a molha-lo enquanto ele ria e saia correndo pela água estar tão fria.
Justin correu até mim pegando a mangueira da minha mão e começou a molhar meus cabelos enquanto ele me prendia em seu braço.
-Ai ta gelado!-reclamei enquanto ele ria.
-Pra você ver o que fez comigo!
Ri disso e ele parou de me molhar deixando a mangueira cair no chão.
Olhei para ele rapidamente vendo o que tinha acontecido.
Ele olhou a nossa volta e em um piscar de olhos havia um homem a nossa frente.
-Pai?-Justin encarou o homem, que mantinha os olhos em cima de mim. Ele era grande, e usava um terno branco. -O que faz aqui?
-Essa é a garota?-ele perguntou. Estremeci ao ouvir sua voz, agarrei-me mais em Justin.
-Sim, é ela.-Justin disse e em seguida me olhou.-Esse é o meu pai, Jeremy, não precisa ter medo.
-Justin ...-sussurrei.-Porque ele esta aqui? Ele veio buscar você?
Ouvi o pai de Justin rir e olhei para ele com medo.
-Claro que não. Não posso levar o Justin a força. Eu vim falar com você garota.
-Falar comigo?-repeti confusa.
-Sim ...-ele revirou os olhos.-Justin, pode me deixar falar com ela?
-Não.-Justin olhou para o pai.-Não vou deixar você fazer a cabeça dela pai. Não vou deixar você fazer mal para ela.
-Eu não quero fazer mal a ela.-Jeremy disse.-Eu simplesmente quero que ela entenda onde esta se metendo. Ela acha que é apenas um namorado adolescente, ou o amor da sua vida ... mas é muito mais que isso. Nós somos anjos Justin, quem se envolve com nós, se ilude fácil.
-O que quer dizer pai?
-Eu quero dizer que mesmo você sendo um anjo, você tem suas obrigações como tal. Não vai mais fazer o bem? Não vai mais ajudar as pessoas? Vai ficar sua eternidade toda aqui até que essa garota envelheça e você renasça para sofrer pela morte dela?!
Do que ele falava? Justin renasceria quando morresse? Como assim ?
-Pai...-Justin abaixou seu olhar.Senti ele me soltar.-Saia daqui, por favor. Eu não preciso ouvir nada disso.
-Precisa sim!-Jeremy insistiu. -Você sabe que eu sei bem como é isto.
-CALA A BOCA!-Justin explodiu. Dei um pulo para trás sentindo meu corpo todo tremer. Suas asas abriram e ele encarou Jeremy que tinha suas asas abertas também. Era muito maiores do que a de Justin. Encarei aquela cena perplexa. Eu queria sair correndo. Nunca vi Justin tão nervoso assim. Olhei em seus olhos e estavam vermelhos.
-Se acalme!-Jeremy advertiu.-Ou vai machuca-la!-e nesse instante ele desapareceu.
Justin me olhou ainda com aqueles olhos vermelhos. Ele tremia de raiva.
Dei mais um passo para trás e ele fechou suas asas.
Ficamos em silêncio alguns minutos até que ele resolveu falar algo.
-Me desculpa ...eu não queria ficar tão nervoso assim...-Justin veio em minha direção, e por incrível que pareça, eu me afastei.
Eu estava muito, muito, assustada.
-Tu-udo b-em.-gaguejei.
-Mad, eu não vou machucá-la.-Justin deu mais uma passo até mim. Fechei meus olhos e respirei fundo.
-Eu sei.-seus braços me puxaram até ele e eu me envolvi em seu corpo mesmo estando molhada por causa da água.
-Nunca mais vou agir assim... me desculpa de novo.-assenti com a cabeça.
-É melhor terminarmos de nos lavar lá dentro.-disse para Justin e ele assentiu.

Estávamos Justin e eu no sofá vendo um programa qualquer na tv, enquanto ele fazia carinho em meu cabelo.
Tínhamos tomado banho e eu emprestei uma roupa do meu pai pro Justin já que a dele estava toda suja.
Eu estava um pouco cansada.
Depois de toda aquela tensão, meu corpo parecia querer esquecer tudo aquilo.
Eu estava vestida com uma camiseta do Nirvana que Justin disse ter gostado de ouvir um dia em seu carro. Peguei o meu iphone e comecei a mexer.
-Eu ainda não sei mexer nisso ...-Justin disse enquanto eu passava as milhares de fotos dos meus antigos amigos que estavam nele. Todos já estão em alguma faculdade por ai, e eu continuo aqui.
-É fácil ...-disse para ele.-É só pegar o jeito.
-Você parece ter saudade dessas pessoas...-Justin comentou e eu levantei meus olhos encarando ele de ponta cabeça.
-Eu tenho, são meus amigos, faz alguns meses que eu não tenho contato com nenhum deles. Eles estão ocupados em suas faculdades ...
-Você deveria ir pra faculdade também.
-É o que eu pretendo, depois de juntar o meu dinheiro.-sorri amarelo.
-Se quiser eu pago pra você. Sua faculdade. Uma casa. Tudo o que precisar...
-Não!-protestei e imediatamente levantei de seu colo.-Ficou louco Justin? Eu nunca aceitaria algo assim... O dinheiro é seu, não meu.
-Tecnicamente também não é meu.-ele disse inocente.-E eu quero que você seja feliz, e se você é feliz nessa faculdade que tanto quer, eu pago pra você sem problemas.
-Sabe o que as pessoas pensariam? Que sou uma aproveitadora! Não vou nunca aceitar isso.
-Mad mas ...-o interrompi.
-Justin, sem mais, nem menos. Quero conseguir isso com o meu esforço. Quero fazer por merecer.
Ele suspirou e assentiu me puxando novamente para seus braços.
-Oh garota brava você!-ri.
-A garota brava que te ama!-dei um selinho nele e me virei ficando de barriga em cima de seu corpo.
-Verdade, não sei o que seria de mim sem você sabia?
-Jus ... posso te fazer uma pergunta?
-Claro que pode.
-Por que seu pai disse que você renascia e essas coisas?
Ele suspirou, e me olhou sério.
-Mad, nós anjos somos assim. Vivemos uma vida normal, envelhecemos ... e quando morremos, renascemos.
-Mas, você não tiveram que morrer um dia para serem anjos? Minha mãe sempre me disse que se você for bom aqui na Terra quando morrer, vira um anjo.
-E ela tem razão. Mas são dois tipos de anjos. Anjos como eu, e anjos da guarda. Os que morrem e são bons, são destinados a cuidar de alguém em especial.
-Isso é tão complicado de entender ...-fiz careta. Ele sorriu de lado.
-Eu sei, mas você não precisa preocupar sua cabeça com isso. Você não pertence a essa mundo Madison.
-Mas você sim, e eu me preocupo com você.
-Vamos parar de falar nisso ?-Justin me ajeitou em cima dele.-Tem  uma coisa melhor que podemos fazer ao invés de falar nisso.
-O que?-perguntei.
-Isso.-Justin aproximou seus lábios dos meus e me beijou.
Como eu amava aquele beijo. Aquele gosto.
-Você beija bem ...-disse para ele entre o beijo. Ele riu, e se separou de mim me olhou.
-Posso te contar uma coisa?
-Pode.-sorri.
-Você foi a primeira garota que eu beijei.
-Sério?

Continua...

Oi meus amores! Obrigada pelos comentários lindos de vocês hahahahah
Enfim esse capítulo ta pequeno mais hoje eu tava com uma vontade de escrever , q eu nao estudei só pra escrever pra vcs u_u
Tipo, hoje eu to inspirada!
akjsjskdkdkdlf
conversem comigo lá no tt! @withjustinbr
quem quiser pode me chamar no whats tb 01982351663
amo vcs, ate mais. A fofura do Justin nesse cap me deixou sem palavras u_u kkk

Trailer da Ib no youtube (aqui)

All That Matters - Capítulo 10 ''Sky''

''Nada melhor, amor, do que passar cada 
segundo,cada minuto, cada hora ...com você como se
minha vida dependesse disso'' 

-Um pouquinho ... Mas não se preocupe, você vai gostar.
-Eu só estou curiosa, queria saber para onde esta me levando.-Justin riu pelo nariz.
-Vou te levar para o paraíso bebê.-ri.
-Eu já estou no paraíso.-disse a ele, e ele riu comigo.

-Seus pais vão viajar amanhã cedo, eles te falaram?-Justin comentou enquanto parava seu carro no acostamento. Estávamos em uma estrada ... e a nossa volta só se tinha árvores e mais árvores.
-Não, pra onde?
-Acho que pra comprar materiais para a loja deles ... mas não me falaram para onde. Seu pai pediu para que eu ficasse de olho em você.
Revirei os olhos e Justin riu.
-Por que paramos aqui ?
-Vamos descer.-Justin disse abrindo a porta e saindo. Exitei um pouco mas fiz o mesmo que ele.
-Justin, aqui só tem mato ...-cocei minha perna e ele riu.
-Não se preocupa não vamos demorar muito, eu só quero responder uma pergunta que você me fez.-Justin estendeu a mão para mim e eu dei minha mão para ele. Ele começou a me puxar delicadamente para o meio daquelas árvores.
Depois de andar por uma trilha que tinha ali, chegamos em um grande campo aberto e eu pude ver uma casa ali. Havia um homem, uma mulher, e duas crianças pequenas que corriam livremente talvez brincando de pega-pega.
-O que estamos fazendo aqui? Quem são eles?
-Esta vendo aquelas crianças?-perguntou, assenti.-É isso que como.
-O que?-olhei para ele aterrorizada. Como assim?!
-Não ... não elas ... mas a energia boa que elas transmitem...-ele explicou vendo que eu estava chocada. Meu corpo deu uma relaxada.
-Mas você também come a minha comida ...
-Sim, porque é bom e porque minha mãe era humana, mas não é o suficiente para que eu sobreviva. Preciso das duas coisas. Do melhor dos dois mundos, entende?  -fiz que sim com a cabeça.-Vou te mostrar como faço, não se assuste.
Ele foi caminhando até as crianças e eu me perguntei se os pais delas não nos viram, mas era obvio que Justin estava fazendo algo para que ele não nos enxergasse.
Quando nos aproximamos das crianças, elas pareciam estar envolvidas  em um manto branco como uma neblina, ou uma fumaça.
Justin agachou-se  e eu tive que fazer o mesmo, pois ele não soltava a minha mão.
As crianças pareciam nos ver, mas nada fizeram. Deve ser por causa da alma puras que elas tem. As pessoas sempre dizem isso.
Justin fechou os olhos e aos poucos aquela fumaça ia lentamente até ele. Ele abriu lentamente sua boca e aquilo entrou rapidamente.
Era muito, tipo, muito mesmo , estranho ver aquilo. Era algo tão sobrenatural ...
Quando Justin acabou, ele abriu os olhos lentamente e me olhou vendo minha expressão.
-Eu sei que é estranho ...
-Um pouco.-sorri de lado.-Mas eu posso me acostumar.-ele sorriu também se levantando, e eu fui junto com ele novamente.
-Desculpa estar segurando sua mão... mas não posso correr o risco de ninguém te ver ...-ele olhou para os pais da criança que agora olhavam diretamente na nossa direção.
-Tudo bem.-garanti a ele.-Onde vamos agora?
-Não se solte de mim.-ele disse vindo me abraçar. Olhei estranha para ele e ouvi o barulho de suas asas se abrindo. Olhei para elas, como da primeira vez. Eu estava encantada.-Vou te levar para passear um pouquinho ...
Assenti sorrindo e logo, meus pés saíram do chão.
Eu estava no céu, literalmente.

-Foi tão incrível Justin!-eu disse quando finalmente descemos para a terra onde seu carro estava parado.-Eu poderia ficar voando o dia todo !
-Não diga isso.-ele riu.-Ou eu vou querer te manter só minha voando por ai ...
Corei minhas bochechas.
''Só minha''
-Ei, -ele riu me puxando pela cintura. Meu corpo colou no dele.-você fica envergonhada muito fácil ...
-Eu sei ta ?-dei a língua pra ele.- O que vamos fazer agora?
-Vamos embora ...-ele se soltou de mim.-Já esta ficando tarde e você nem almoçou , sem que esta com fome.
-Não to não!-disse.-Vamos passear por ai ... por favor, não quero ir embora agora.
-Mad, seus pais vão ficar bravos ... Você sabe disso.
-Ahhh ta bom então ...-andei até o carro , abri a porta e entrei, colocando o cinto em seguida. Justin entrou alguns segundos depois e começou a dirigir, sem dizer nada.

Quando chegamos na minha casa, eu simplesmente desci do carro e Justin me acompanhou. Estava um clima realmente tenso. Abri a porta e assim que entrei, Justin a fechou.
Meu pai estava na sala vendo tv, e a sua frente tinha um copo de cerveja pela metade.
-Mad, para com isso ...-ouvi Justin dizer. Meu pai nos olhou  e eu me virei para encarar Justin.
-Justin,sério, vamos esquecer disso ... Vou comer alguma coisa, mesmo sem 'fome'.- dei ênfase naquela palavra e segui para a cozinha.
Abri a geladeira e vi uma torta de maça que minha mãe havia feito. A peguei e coloquei sobre a mesa.
Logo meu pai apareceu.
-O que houve com você e o Justin?
-Nada pai ...-suspirei.
-Ele tentou machucar você?
-Não, claro que não.... Eu só fiquei chateada com ele  porque eu queria ter voltado mais tarde ...
-Como assim mais tarde Madison?-meu pai me encarou sério.
-Estávamos fazendo um passeio tão lindo ... eu só achei que podíamos ficar mais algumas horas ... Mas ele disse para que voltássemos já que eu não tinha almoçado.
-E você esta brava com o menino por isso ? Filha, ele realmente é uma pessoa boa ... Você acha que outros caras por ali ligariam pra isso ? Ele se preocupa com você, e eu acho melhor você ir na sala e resolver as coisas com ele ...
-Ta ...-cortei rapidamente dois pedaços de torta e fui para a sala. Justin estava sentado no sofá, e assim que cheguei, ele me olhou.-Trouxe pra você.-disse , e entreguei o prato em sua mão.
-Obrigada ...-me sentei ao seu lado e suspirei. Dei a primeira garfada em minha torta e não consegui continuar. Coloquei na mesinha a minha frente e encarei Justin.-Ah me desculpa vai! Eu sei que sou uma idiota ...-disse, ele colocou seu prato na mesinha também e me abraçou.
-Eu sabia que você não ia ficar brava pra sempre ...-ele riu e me encarou.-E você não é uma idiota, você só queria passear mais um pouco ... e ...-o interrompi.
-Justin, não se preocupa, eu sei que estava errada. Não precisa falar nada. Você é muito bom pra falar algo.-roubei um selinho dele, e ele me puxou para seus braços.-Eu gosto que você seja bom, porque ai me impede de fazer besteiras ...
Ele riu.
-Estou aqui pra isso não estou ?
Sorri  e o abracei novamente.
Com certeza era impossível ficar brava com Justin. Era a mesma coisa de ficar brava com um bebê.

No outro dia acordei já sabendo que meus pais estavam indo viajar . Eles ficariam o fim de semana todo fora, e como eu estava de folga do trabalho poderia botar o plano que eu tinha em mente, em prática.
É o seguinte. Eu tenho 200 dólares guardados desde que me entendo por gente, porque minha mãe sempre disse que queria pintar a sala, meu quarto e o quarto dela, mas que não podia fazer uma reforma na casa agora.
Nesse fim de semana, com a ajuda de Justin, eu  e ele pintaríamos  todas as paredes e trocaríamos o papel de parede para fazer uma surpresa para meus pais quando voltassem.
Entrei no banheiro rapidamente, tomei o meu banho matinal e me troquei.


Tomei o café normalmente com os meus pais e me despedi deles assim que eles resolveram pegar a estrada. Meu pai deixou várias regras...e eu tive que bufar para várias. Ele realmente acha que eu tenho 3 anos de idade, ou sou uma adolescente cheia de hormônios.
Dei uma arrumada na casa porque havia várias coisas bagunçadas e logo Justin chegou. Contei minha ideia pra ele e ele disse que deveríamos ir comprar as tintas, e assim fizemos.

Quando voltamos para minha casa, decidimos começar pela sala. Cobrimos os sofás  e as estantes com alguns plásticos que eu encontrei no porão para não sujar nada.
Tiramos o papel de parede e começamos por ali colocando um novo, com uma estampa totalmente linda e rústica como minha mãe adorava.
Justin tirou sua camisa e deixou seu corpo a mostra , quero dizer, seu abdômen super definido! É normal anjos serem assim ?
Ri com meus pensamentos e peguei o pincel enquanto ele tinha pego o grande rolo começando a passar a tinta no alto da parede.
Acho que esse dia renderia muito, não?

Continua ...

Oi minhas lindas, td bem com vcs?
Eu queria comenta algo q esta me chateando ... cadê os comentários de quem ta lendo? pf né meninas vamos comentar, vcs comentavam tanto!
Falemos da ib agora 
Ta td mundo me perguntando quando vai ter hot ... mas gente, algo tão doce pode ser substituído por um hot? Estou pensando seriamente em nem ter hot ... e se tiver bem pro fim, pq é tão 'cute' Justin todo meigo, e todo bebê hahahahahah, enfim
Obrigada por tudo de coração, vcs sabem q eu amo vcs <3
ME SIGAM NO TWITTER @withJustinBr
VAMOS DAR RT AQUI MENINAS 

Cápitulo 6 ~~"Danger in Two Heart~~ Primeiro Beijo~~





-Boa menina agora é com nós dois- diz, na mesma hora sinto  meu rosto formigar , eu não estou acreditando que ele me bateu

- Você é louco? digo colocando a mão no local onde ele me bateu

-Louco? Minha filha voce não viu nada, voce não sabe com quem se meteu-diz ele totalmente furioso

-Ah é, e com quem eu me meti ? -digo tentando não demonstrar medo

-Nada mais, nada menos que "JUSTIN BIEBER "- ele disse se sentindo superior

Nessa mesma hora eu não tive reação, eu já tinha lido sobre ele, ele era o criminoso mais procurado de toda a America, tipo ele era o "Fodão" .Nessa mesma hora ele partiu pra cima de mim, me dando tapas atrás de tapas

-Isso é pra você, aprender a não chutar mais ninguem -diz ele vindo pra cima de mim, me dando tapas e chutes, nessa hora ele me empurra com tudo pra cima da cama.

-Me Solta, ou você vai se arrepender -digo sendo firme

-Vou me arrepender de que garota, voce se não calar a boca, que vai se  arrepender, poxa um corpinho tão belo , um rostinho tão bonitinho,ir pro saco será um desperdicio- diz ele me fazendo arregalar os olhos, nessa mesma hora eu olho por criado mudo e vi que meu espelho estava ali, isso tinha me dado uma ideia só tinha que saber a hora certa de usar.

-Então vamos começar, tira a blusa

-Não mesmo,eu não vou ter nada com voce

-Ok se voce quer do pior jeito, então tá voce que escolheu- nessa hora ele rasga toda a minha blusa - É do jeito que eu esperava, durinho, imagino que ninguem nunca tenha tocado.

-E não será você o primeiro - pego o espelho e rumo com toda a força na cabeça dele.

Ele cai com tudo  em cima de mim, meu Deus será que eu matei ele, estava totalmente assustada, não sabia o que fazer.

Levantei fiquei uns 5 minutos só olhando pra ele,pra ver o que eu fazia, até que eu percebi que tinha feito um corte enorme  na sua cabeça, ai que me desesperei mesmo.Resolvi ir no banheiro, e pegar a minha maleta de primeiro socorros, fui eu que fiz essa besteira então deixa eu pelo menos fazer um curativo, depois eu resolvo o que vou fazer,Deus queira que ele não acorde, caso contrário não estarei mais viva.

Peguei a maleta e fui pra cama, sentei e peguei sua cabeça e coloquei em meu colo,peguei o algodão e  a água oxigenada e passei em cima pra limpar. Peguei um remedio que tinha que era ótimo pra esse tipo de corte, passei em cima, nessa hora vi ele fazer uma expressão que estava doendo.Fiquei tensa,resolvi terminar logo esse curativo, terminei, nessa hora ele abriu os olhos. Fiquei em estado de choque.

-Ai minha cabeça-diz ele colocando a mão sobre o local

-Me Desculpa - digo com medo de sua reação

-Garota, cala a boca, se não eu estouro seus miolos 

Ele tenta tirar a cabeça do meu colo , mas grunhi

-Ai

-Fica quieto ai, eu já fiz um curativo, se voce não ficar mexendo vai sarar rapidinho-digo tentando ser simpático pelo menos eu prolongo minha vida.

-Vou te fazer uma pergunta, que tipo de louca é voce, que quase mata alguem e depois faz um curativo?

-É... você que provocou, voce ia abusar de mim, eu não queria ter a minha primeira vez com alguem como você.- Do nada ele começa a rir,eu não estava entendendo nada

-Porque dá risada?

-Você é virgem? não acredito

-E dai, isso é escolha minha ok?-nessa mesma hora eu levanto fazendo com que sua cabeça batesse no colchão.

Vejo ele resmungando  algo , imagino que seja pela dor que ele esteja sentindo até que ele aparece na sala me surpreendendo 

-Realmente eu não imaginava que a garota dificil da boate, a garota que eu vim atrás pra fazer gemer meu nome, seja Virgem.

-Se quer debochar, pode ir embora-digo sentando no sofá

-O que eu tô achando graça, é que eu vim com a maior furia do  mundo aqui, e agora estamos conversando.

-Pois é. Muito obrigada por polpar minha vida, sério estou realmente grata, voce ja mentiu dizendo que era meu primo já me acordou , já sacaneou por eu ser virgem , então já pode ir embora.-digo sendo indiferente

-O que eu realmente não entendo, é porque todas as garotas sempre estão aos meus pés, e voce simplesmente deu uma de dificil pra cima de mim.-diz ele sentando no mesmo sofá em que eu estava

-A questão é que eu não sou "todas as garotas" eu sou só Natasha

-Por ser voce mesma, me fez esta completamente vidrado em você -Nessa mesma hora, ele vem se aproximando ele estava a centímetros de distancia de mim, eu não consegui ter nenhuma reação,até que nossos lábios se chocaram, senti uma sensação estranha, no começo eu não correspondi, até que ele colocou sua lingua em minha boca, se nenhuma permissão  e deu uma risadinha, a partir dai comecei a corresponde-lo, era um beijo calma , até que ele começou a ser feroz, passava sua mão por todo o meu corpo, tivemos que partir o beijo pela falta de ar.

-Uaaaal - Foi a única coisa que consegui dizer 


-------------Continua                                                                                        Jáaih s2




OOOOOOOOOii lindaas , então esta ai, mais um capitulo haha *-* desculpa a demora, muito obrigada por todos os comentários de conforto,  e por estarem interagindo com a IB séerio mesmo, amo muuuito *-*
Entãao comentem ai o que acham que irá acontecer, me seguem no TT: @Jaiihara sigo todo mundo de volta, beeeijos e até o próximo caap'