19 de jun de 2014

Surpresa!!! Eu voltei!

Oi gente, tudo bem com vocês? Primeiramente queria dizer que estou feliz escrevendo isso pra vocês. Eu estava aqui relendo minhas ibs, relendo o que vocês diziam sobre mim , relendo o que eu dizia pra vocês e tô com vergonha de mim e me perguntando por que deixei vocês todo esse tempo sem atualizar o blog. Eu passei boa parte de boas lembranças minhas com vocês e muitos problemas vocês me ajudaram muito. Acho que me ajudaram a amadurecer tambèm e hoje eu enxergo muitas coisas diferentes. Obrigada por todos que continuaram comigo e eu espero ter vários outros leitores como tinha  antigamente ou atè mais. Resolvi agradecer vocês da minha forma.
Decidi postar timber aqui e voltar com o blog. Sim! Voltei hahahah. Mas queria pedir calma na postagem dos capítulos porque escreverei duas fics ao mesmo tempo ai complica , mas eu espero que vocês acompanhem e comentem. Obrigada de novo e não se preocupem, prometo não ser tão chata como antes.
Amo tudo que vocês fizeram por mim.
Obrigada <3
Pra quem não conhece timber aqui esta a sinopse em video :)
Meu whatsapp para quem quiser conversar : 19993294914
Instagram : wtfstha
Essas são as " redes sociais " que fico o dia todo .
Espero ver vocês no pròximo capítulo de timber. Beijos <3

10 de jun de 2014

Capitulo Único - "I deserve you"


"Eu olho seus olhos e me perco. Me perco nesse seu amor só de saber que tive o que mereci minha vida toda : você"

Me levantei da cama tomando cuidado para não acordar o Justin e tentei andar apesar da minha barriga pesar muito. È, estava quase.

(flashback on)

Abri a janela do meu quarto deixando a brisa vindo do mar entrar pela mesma. Justin ainda dormia e eu sentia meu estômago revirar pela briga que tivemos. Ele quebrou a casa toda com chutes e socos. Ele ... ele me bateu.
Segurei as lágrimas que ameaçaram cair. Não. Ele não podia me ver chorar de maneira alguma ou ficaria bravo de novo.
Andei devagar atè a cama e assim que me deitei novamente senti ele se mexer. Olhei para ele rapidamente e ele estava acordado.
-Me desculpa...-sussurrei.-Eu não queria acordar você.
-Você não me acordou...-ele soltou um suspiro pesado.-Deita aqui comigo?
Ele bateu no colchão mais perto dele e fiz o que ele pediu.
Eu não disse nada. Eu não queria irritá-lo para não brigar novamente. E a verdade era que estavámos brigando tanto que eu sentia vontade de sumir dali com nosso filho e tudo que crescia dentro de mim e Justin não sabia.
-Será que ainda temos salvação?-ele me perguntou e eu fiquei quieta por que ele queria ouvir que não tinhamos salvação mas no fundo eu sabia que Deus não nos deixaria na mão.
**
-Cheguei.-Justin anunciou abrindo a porta. Limpei minhas lágrimas e me levantei do sofá. Fui atè ele e o selei forçando o melhor sorriso que eu pude.
Me peguei assistindo um filme romântico e chorando horrores. Não è possível eu ter um marido tão ferrado assim.
-Você andou chorando?-ele perguntou rude. Extremeci.
-Não... È, foi só um ... è filme. Isso. Um filme.-me embolei toda ao respondê-lo.
-Mulher minha não fica chorando pelos cantos!-ele gritou e segurou o meu braço.-Eu fiquei o dia todo naquela merda de empresa. Eu quero chegar em casa e ver minha mulher me esperando feliz, será que nem isso posso mais?!
Respirei fundo e puxei meu braço.
-Claro que pode amor.-sorri falsamente.-E agora mesmo vou ir preparar seu jantar. Depois quem sabe um banho na banheira? O que acha?
-Acho que você consegue ser boa quando quer.
Ele me puxou pela cintura e me selou.
**
-È sempre a mesma coisa!-ele gritou.-Você sempre deixa minha omelete queimar, sempre reclama dessa casa, eu tô cansado porra! Eu trabalho pra te sustenta e você me agradece assim?
Ele jogou seu prato no chão.
Me agachei logo para limpar aquilo e mais uma vez tive que segurar o choro.
Eu não to reclamando!, gritei dentro de mim.
-A culpa da gente estar assim è sua!
Ele levantou e me puxou pelo braço me colocando de pè a sua frente.
-Desculpa...-sussurrei.-Eu não queria queimar a sua omelete.
-Desculpa?-ele riu debochado.-Você vai ver a desculpa!
Ele saiu me puxando para o quarto e assim que entramos ele me jogou sobre a cama e tirou seu cinto o dobrando ao meio.
Ele ia me bater.
-Por favor não me bate!-gritei.-Você não pode me bater!
Senti meu rosto ardendo. Ele havia me batido.
Coloquei a mão no lugar em desespero.
-Por favor para!-gritei.-Você vai matar o nosso filho!
Ele olhou para mim estático.
-O que? O que você disse?
-È isso que você ouviu!-desta vez não pude controlar minhas lágrimas.-Eu tô grávida!
-Grávida? Ficou louca?
-Eu não estou louca! Você odeia camisinha e agora me vem com essa?-Tomei coragem e me levantei. -Quer me bater? Bate! Mas se acontecer algo com meu filho eu vou atrás de você atè no inferno!
**
-Você tem que procurar a policia...-Chaz me abraçou de lado.-Justin não è nenhum santo e agora que você carrega uma coisinha dentro de você ele não pode continuar te batendo...
-Tenho medo de voltar pra casa...-confessei fazendo o possível para não chorar mais ali na frente de Chaz.-Você sabe que eu o amo... Não posso perdê-lo.
-Como pode amar um monstro como ele?
-Eu não sei... Mas não queria amá-lo. Esse amor me machuca...e tenho medo que machuque meu filho tambèm.
**
-Eu vou embora.-Justin parou a minha frente e colocou suas malas no chão.
-O que?
-Eu vou deixar você viver sua vida. Eu não posso mais machucar você... Eu não posso mais te fazer sofrer. Vou mandar dinheiro para pagar suas consultas... Para sustentar essa criança.
-Não! Você não pode fazer isso!
Justin nos últimos meses havia se transformado em um monstro mas eu não podia perdê-lo porque no fundo eu sabia que era fraca demais para viver sem ele.
-Eu não posso continuar aqui Anne! Eu não posso! Eu não vou conseguir cuidar dessa criança!
E pela primeira vez presenciei Justin chorando.
-Então mude!- E mesmo com medo eu o abracei.-Mude e cuide do nosso filho! Ele precisa de você. Eu preciso de você...
Senti as mãos dele me apertarem contra seu corpo.
-Me perdoa? Eu não devia ter batido em você... Me perdoa amor? Me perdoa por ter me transformado em um monstro nesses últimos meses...
-Eu amo você.-disse e me afastei para olhá-lo.- Se você prometer nunca me deixar eu te perdoou... Eu perdoo tudo. Tudo. Porque eu ... Eu amo você.
-Eu nunca vou deixar você.-ele me puxou novamente para seus braços.- Porque eu sou completamente louco de amor por você Anne.
-Vamos concertar nossa vida... Vamos ser felizes.
**
Senti o sol no meu rosto e abri meus olhos vendo que Justin não havia dormido em casa.
No exato momento que me levantei para procurà-lo a porta do quarto se abriu e ele entrou todo machucado e sangrando.
-O que houve?-perguntei desesperada e fui atè ele.
-O filha da puta do Chaz me bateu!-ele rosnou com raiva.-Ele me deixou jogado e só agora eu acordei e vim pra casa.
-Você precisa ir ao mèdico.
Por que Chaz fez isso?
-Me poupe Anne! Ele me bateu por sua causa. Não me venha com essa de "preocupadinha" pro meu lado!
-O que? Por que? Ele e Ryan são seus melhores amigos!
-Não são mais! Eu odeio eles!
-Por que brigaram? O que ele disse a você?
-Ele disse que esta apaixonado por você. Minha mulher.
Olhei pra ele chocada.
-Eu ... A culpa não è minha.-disse por fim.-Chaz è meu amigo. Você è meu marido. Não tem motivos para esse tipo de violência.
-Ele è um imbecil!-Justin cuspiu.-Eu disse que tinha mudado mas ele ficou me acusando, dizendo que não sirvo pra você... Eu não vou perder você Anne. Não vou...
Justin caiu ajoelhado a minha frente e eu logo me abaixei preocupada. As lágrimas dele começaram a cair enquanto eu o abraçava.
-Vai ficar tudo bem...-eu disse.
-Por que todos ficam me julgando? Ninguém sabe pelo que eu passei! Eu mudei! Juro que mudei!
-Eu acredito.-me afastei um pouco para olha-lo. Dóia ver aqueles olhos que eu mais amava cheio de lágrimas. -As pessoas julgam sem conhecer. Eu conheço você e eu tenho fè que as coisas vão mudar pra nós.
Senti ele me puxar para um abraço e continuar chorando em meus braços.
**
-O que è isso?-entrei no meu quarto e coloquei a mão na boca surpresa. Havia rosas em cima da cama , rosas vermelhas. Fui atè elas e encontrei um bilhete.
-Quanto tempo eu não te dou rosas ?-comecei a ler em voz alta.-A última vez que me lembro de ter te dado flores foi uma semana depois do nosso casamento e você nunca reclamou. Você nunca disse "amor eu queria ganhar flores as vezes" porque você tinha medo de mim. E eu nunca te tratei como você merecia mas as coisas vão mudar. Nosso amor pode mover montanhas e o meu amor por você vai fazer tudo mudar eu te prometo isso... Bom, -eu estava tentando conter as lágrimas mas era impossível.- eu tenho uma surpresa. Vá atè o quarto de hospedes. Com amor, Justin.
Deixei as rosas e o bilhete em cima da cama e corri para o quarto de hospedes. Assim que abri a porta encontrei Justin todo sujo de tinta branca pintando a parede. Todos os móveis dali tinham sumido.
-O que esta acontecendo?-perguntei. Minhas lágrimas estavam tão intensas que eu não conseguia processar nada daquilo.
-Eu te amo Anne!-Justin veio em minha direção e me abraçou.-Não chora... Por favor.
-Justin...-sussurrei entre os soluços.-O que è tudo isso?
-Estou transformando esse quarto no quarto do nosso filho amor.
Olhei em volta e percebi que 3 paredes já estavam pintadas.
-Oh meu Deus...
-Gostou da surpresa?-ele perguntou.
-Sim! Eu amei. Obrigada amor!!!
-Ainda não acabou...-ele sorriu de lado.-Hoje á noite temos uma reserva no melhor restaurante da cidade. Hoje faz 6 meses que nos casamos não è? Acho que temos que comemorar.
Eu estava emocionada demais para dizer algo. Me aninhei em seus braços e ouvi ele sussurrar "eu te amo" repetida vezes pra mim causando a minha felicidade.
**
-Justin eu quero pizza...-o balancei na cama. Ele abriu os olhos me olhando.-Eu quero pizza.-repeti.
-O que?-ele sussurrou confuso.-Vá dormir ainda não amanheceu.
Olhei para aquele rosto amassado e fiquei com dó dele mas eu estava com desejo de comer pizza de abacaxi e minha mãe disse que as grávidas tinham que comer o que queriam.
-Não Justin... Você não tá entendendo ... Eu tô com desejo.
-Ah não Anne... Onde eu vou arrumar pizza a essa hora?
-Eu quero pizza de abacaxi. Vai Justin!-o cutuquei.-Eu quero agora. Eu vou ficar doente se você não for buscar pra mim...
Ele bufou e se sentou na cama.
-Anne, -ele respirou fundo.-onde vou arrumar pizza de abacaxi?
-Deve ter algum lugar Justin.-insisti.-Se você não for nosso filho vai nascer com cara de pizza.
-Nem sabemos se è menino...-ele resmungou se levantando.-Mas estou indo procurar essa maldita pizza. Eu volto logo.
-Amor?-o chamei e ele me olhou.-Traz sorvete tambèm?
Ele riu e se inclinou para me dar um beijo.
-Você è impossível Anne.
Ri disso.
**
(flashback off)
Respirei fundo colocando meus chinelos. Senti aquela dor forte novamente. Eu tinha dormido muito mal por causa dessas dores. Eu estava de 8 meses. Faltava apenas um mês pro meu pequeno Justin nascer.
Sim, ele se chamaria Justin igual ao pai.
Senti outra pontada na barriga e um liquido quente começou a escorrer em minha perna e me curvei para olhar.
Oh não!
-Justin!-gritei em desespero.-Me ajuda!
Ele acordou com o susto.
-O que foi? O que aconteceu?
-Minha bolsa estourou. Vai nascer! Nosso filho vai nascer!
-Calma.-ele se levantou. -Vou trocar de roupa e já vamos.
Assenti respirando fundo.
Justin se dirigiu para o banheiro  e quando achei que ele sairia daquele banheiro ele ligou o chuveiro. Ele estava tomando banho? Oh meu Deus.
Respirei fundo outra vez, e outra e outra. E finalmente ele saiu do banheiro já vestido.
-Já estou terminando...-ele disse e foi pra frente do espelho.
-Você vai ficar ai arrumando seu cabelo?-perguntei incredúla.
-Você quer que eu vá todo desarrumado no nascimento do nosso filho?
Desgra...
Respirei fundo outra vez.
-Justin se você não me levar no mèdico agora eu vou dar a luz aqui mesmo e isso não vai ser agradável pra você. E se você não parar de frescura e pegar minha bolsa para ir eu vou atè ai te bater.
-Ta bom.-ele ele revirou os olhos.-Vou pegar sua bolsa para irmos.
Assenti.
**
-È tão pequeno...-Justin disse baixo olhando para o pequeno garotinho em meus braços. Eu estava encantada. Era como se meu amor tivesse aumentado ainda mais vendo ele.
-Ele è lindo... Parece com você.
-Me desculpe por demorar tanto pra te trazer... Eu tava nervoso.
Ri balançando a cabeça.
-Você não è normal sabia?
-Posso pegar ele?-ele mudou de assunto.-Prometo não machucá-lo.
-Claro que pode. È seu filho.
Ele se inclinou um pouco e o pegou no colo ficando pertinho dele.
-Oi filhão.-ele sorriu.-Pronto pra me ajudar a fazer sua mãe feliz?
Justin, meu bebê, tocou o rosto do pai como se respondesse sua pergunta.
Sorri.
Não havia felicidade maior que a minha, realmente não havia.
Fim
Oi meninas q saudades de vcs <3
Esse blog ta mofano eu sei... Mas bom eu e a Dessa estamos tentando atualizar com esses capítulos unicos pra vcs. Eu sei q muita gente gosta do blog (ou gostava) e eu sei q sumi justamente pq meu pc ta quebrado atè agora mas estou tendo umas ideias surpresas pra vcs , espero q dê certo kkkk , pelo menos pras leitoras que restaram. Se alguèm te ver alguma coisa pra falar, criticar, elogiar, dar dicas, agora è a hora. Estou esperando pra tomar uma decisão definitiva sobre o blog. Amo vocês e obrigada por tudo. Vejo vcs em breve na próxima postagem minha <3
Bjos.
Fic no anime em andamento : http://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-biology-teacher-1638097
Instagram: wtfstha
Twitter: @WithJustinBr