24 de jul de 2015

Timber - Capítulo 21 ''Cell fight''

''Você me acorrentou. Você me deixou preso ao seu amor, mas eu não mudaria. '' - Chains


Um minuto depois a porta abriu. O cara moreno, com barba mal feita olhou para nós. Seu corpo era repleto de tatuagem e cheia de músculos. Ele tinha um piercing no nariz tambèm. 

-Justin nos mandou aqui.-Chaz falou. O cara nos encarou e antes que dissesse algo a escuridão invadiu meus olhos e eu apaguei


Abri meus olhos com cerca dificuldade. Podia sentir o tecido àspero em minhas mãos e braços. Minha cabeça latejava. 

-Babi?-a voz de Chaz me despertou por completo. Olhei para ele.-Caralho você me assustou!-ele falou alto me causando nausea. Atràs dele o homem me encarava. 

-Precisa ir ao hospital.-O homem falou pela primeira vez. Sua voz era grossa. 

-Dante, certo?-perguntei me ajeitando naquele sofà duro. Tirei a manta que me cobria.-Eu estou melhor, obrigada. 

-Tem certeza? -Chaz perguntou preocupado.

-Eu tenho.-sorri para ele.Chaz sempre era atencioso.-E então? Como vai ser Dante?-resolvi ser direta. -Vai nos ajudar nè?

-Sim. Justin explicou o plano? 

-Mais ou menos. -falei.-Ele disse que você daria as instruções. 

-Ok...ahn como Justin è do Canadà ele serà deportado para là. Quando isso acontecer irà acontecer uma pequena invasão na segurança do presidio. Justin jà estarà com a droga e quando tudo acabar, um homem de dentro vai tirar ele de là e ele serà dado como morto. 

Pensei naquilo. Tudo parecia bem vago. E o inglês daquele cara era horrível. 

-Justin vai subornar alguèm da enfermaria?

-Sim.-Dante confirmou.-Tudo que temos que fazer aqui fora è garantir que ele consiga e recupere tudo que perdeu. 

Chaz bufou. 

-Anos de trabalho perdidos por causa do merda do Jack!-ele xingou.

-Por que você vai nos ajudar?-perguntei. Ele não iria ajudar de graça ia?-Você deve pro Justin?

-Devo.-ele deu de ombros.-Mas não è só por isso. Motivos pessoais. 

Que tipo de motivos pessoais?  Olhei perdida para ele. Dante parecia ter 30 anos. Era bem mais velho que eu , Chaz e Justin. O apartamento dele não era de luxo. 

-Você deve por causa de drogas?-perguntei. 

-Se você quer saber o motivo da minha ajuda pergunte ao Justin não a mim. -ele foi grosso. 

-Quem você pensa que è?-indaguei inconformada com a petulância dele.

-Sou a pessoa que você precisa pra ajudar seu namorado.-ele sorriu cinicamente.-Vamos continuar brincando de casinha ou vamos ao trabalho? 

Desta vez Chaz falou: 

-Vamos acabar com essa porra logo. 
**


Joà, Rio de Janeiro. 18:30 p.m

-Alguns homens estão fazendo uma ronda na região. -Dante chegou na sala dizendo. Olhava aquela mansão espantada. Era maravilhosa.-Aqui não è bem um local de criminosos então ninguèm desconfiaria que esta aqui. 

-Você vai ficar aqui tambèm?-perguntei. 

-Não. Chaz e alguns homens meus vão ficar. Vou continuar no meu apartamento. 


-O que vamos fazer depois de recrutar alguns homens?- Essa era a primeira parte do plano de Justin: recrutar ajuda. 

-Volto aqui amanhã para vermos como vamos conseguir dinheiro pra armar os esquemas de suborno. 

Justin tinha deixado uma boa quantia comigo mas eu sabia que não era suficiente. 

-Tudo bem.-assenti. 

**

Olhava as estrelas sentada em uma espreguiçadeira. Havia seguranças espalhados por todos os lados mas eu vivi muito tempo assim e agora, aprendia a ignorar. Eu estava com saudade de Justin. Saudade daquele jeito idiota, grosso, machista de ser... Ele podia ser o pior homem do mundo mas sabia ser exatamente o que eu queria. Dóia pensar que ele teria que ficar preso entre quatro paredes, que podia ser condenado a morte... E se nada desse certo, eu não iria aguentar ficar sem ele. 
Deixei uma làgrima escorrer e quando a limpei senti mãos em meus ombros. Era Chaz.

-Posso me sentar?-ele perguntou. Assenti sem olhar para ele.  Ele se sentou na minha frente, me encarando.-Tà pensando nele nè?

-Impossível não pensar Chaz. Eu amo aquele imbecil... Por mim teriamos fugido.

-Ele tem um plano Babi. Um plano depois que escapar.-ele falou baixo. Olhei para ele confusa.

-Como assim plano?

-Quando ele sair, tecnicamente, vai estar morto certo? Então ele vai assumir outra identidade. Ser uma pessoa comum.

-Você esta me dizendo que Justin quer ser comum? Que ele vai desistir da vida do crime?

-Ele vai.-ele me garantiu.

-Como você sabe?

-Ele me contou quando estavámos em Atlanta. 

-O que mais ele disse?

-Ele me contou muitas coisas Babi. Não posso te contar ainda, mas vai ser tudo pro seu bem.

Bufei. Era bem a cara de Justin não querer que quase ninguèm soubesse seus planos. 

-Justin sendo Justin...-falei dando um sorrisinho.- Não vai descansar?

-Vim chamar você pra fazer isso.-ele sorriu.-Dante contou que esses homens não vêem um rabo de saia faz tempo e que era pra mim ficar de olho em você.

-Eles não vão fazer nada, sou a chefe deles.

-Você que pensa... Pelo que percebi o negócio aqui no Brasil è bem pior. As pessoas não respeitam nem a familia.

-Jà estou com nojo desse lugar...-respirei fundo.-E aqui è muito quente. 

-Pelos menos tem gostosas...-ele comentou malisioso. Ri.

-Nada de mulher pra você Chaz, só trabalho aqui por enquanto...

-Beleza chefa!-ele bateu continência mr fazendo rir outra vez.-Serà que podemos entrar? Eu tô com fome e não quero cozinhar...

Revirei os olhos.

-Você è um babaca mesmo!-bati no ombro dele.-Só esta aqui para que eu cozinhe pra você nè?

Ele fez um biquinho, e eu ri. Chaz com certeza era um verdadeiro amigo.

**


P.O.V Justin Bieber 

As horas não passavam naquela merda. Aquele lugar era o último que eu queria estar naquele momento enquanto minha mente vagava em lembranças boas com Babi. Como eu queria que ela estivesse ali me beijando, brigando comigo... Ou apenas me olhando. Olhar nos olhos dele era a certeza que ela era minha e agora: nada. 
Ouvi a cela ser aberta e muxoxos do outro lado. A luminosidade me cegou por um instante atè que vi uma pessoa sendo jogada no chão ao meu lado. A porta foi fechada e trancada. Mesmo no escuro, podia ver quem era. Jacob. 

-Só pode ser brincadeira!-ele rapidamente se colocou de pè. Fiz o mesmo jà sentindo a raiva me consumir. -Esses tiras tão de sacanagem!-ele riu.

-O que faz aqui desgraçado? O seus amiguinhos tiras te prenderam è?-ironizei. Meus punhos estavam fechados. Era hoje que eu mandava ele pro inferno, sem volta. Uma morte a mais não ia fazer diferença.

-Eu não quero brigar ok?-ele suspirou.-Estamos do mesmo lado.

-Mesmo lado? Vai toma no seu cu!-fui pra cima dele e o empurrei.-Você è um babaca, um desgraçado, um merda! Por que fez isso Jacob? POR QUE PORRA ENTREGOU SUA FAMILIA? NOS AJUDAMOS VOCÊ CARALHO! EU AJUDEI VOCÊ!

Ele tentou se livrar de mim mas eu não deixei ele levantar. 

-Me solta caralho! De que adianta você me bater? Vamos todos pro inferno! Nossa sentença è a morte.

Deixei que a raiva me consumisse. Ele tinha traido a porra do pacto, traido a Babi e eu!

-Eu vou fazer questão de fazer você ir pro inferno!-falei rangendo meus dentes. Coloquei todo meu peso sobre o peito de Jacob com o joelho e comecei a socà-lo. Ele gritava. Tentava me empurrar mas minha raiva era maior. Que se dane! Eu ia matà-lo. 

Jacob acertou um soco frouxo na minha costela e eu coloquei minhas mãos em sua garganta. Podia sentir os olhos dele em mim. Eu apertava, apertava e apertava. Atè que ele parou de se debater. Tirei minhas mãos dele.
Estava morto. 
**

P.O.V Logan - Presidio de Atlanta, 22:34 p.m

Respirava fundo tentando me acalmar. O agente Stalin me fuzilava de perguntas sobre onde Babi poderia estar e eu não fazia ideia. Ela tinha sumido.

Graças a Deus.

-Você realmente não se lembra de nada ou lugar que ela possa ter ido?-ele perguntou pela dècima vez. 

-Não senhor.-respondi.-Eu posso entrar em contato se ela falar comigo... 

-Faça isso.-ele sorriu.-Sua mãe vai ser solta assim que botarmos nossas mãos na garota!

Minha mãe. Suspurei. Maldita hora que ela resolveu usar drogas. Se não fosse ela eu não estaria traindo Babi assim. 

-Obrigado.-falei baixo. Minha voz parecia não querer sair. 

No mesmo instante um policial entrou na sala, parecia nervoso.

-Senhor temos um problema!-ele falou.

-O que houve!-Agente Stalin o olhou.

-Justin Bieber matou Jacob Hall.

Puta que pariu.
**

P.O.V Bàrbara Smith

Acordei no meio da noite enjoada. Puta que pariu. Com certeza tinha sido os ovos que fiz pro Chaz. Ao lembrar do cheiro corri pro banheiro e vomitei. Quando estava me sentindo melhor, desci atè a cozinha para beber àgua. Eu usava apenas calcinha e sutiã porque fazia muito calor e Chaz me garantiu que os homens eram proibidos de entrar na casa. 
Entrei na cozinha e bebi um copo de àgua. Quando estava voltando pro meu quarto me assustei.
Um dos homens estava ali dentro. Ele olhou para mim, olhando diretamente minhas pernas. 

-O que faz aqui porra? Não tem que entrar aqui!-falei firme. Eu tentava me manter calma mas estava com medo. Ele tinha uma cara nojenta, era gordo, usava uma roupa que parecia não ser lavada hà dias. 

Ele não falou nada. Continuou se aproximando e eu me afastando atè que bati com as costas no balcão.

Suas mãos grandes e nojentas tocaram minha cintura. Comecei a gritar e ele prendeu sua mão na minha boca, forçando seu peso pra frente me deixando sem ar. 
Ele pronunciou uma frase em inglês. Mas era muito difícil de compreender. A única coisa que compreendi me deixou com medo, ele havia dito : foder. 

Continua...

Oi meninas, tudo bem ? Espero que estejam bem e gostando da ib, vou tentar postar mais rápido pra vocês.
E agora? Justin matou Jack, será que isso vai complicá-lo? Será que Babi vai conseguir escapar ?
Espero vocês no próximo capítulo.
Comentem <3

Beijos!!!

Insta: wtfstyha
ASK : http://ask.fm/SexBieberBR