29 de mai de 2015

Timber- Capítulo 15 ''Marry me ?''

Quando suas pernas não funcionarem como antes e eu não puder mais te carregar no colo. A sua boca ainda se lembrará do gosto de meu amor? Os seus olhos ainda sorrirão em suas bochechas? - Thinking Out Loud

-Porque eu te amo Bieber. E eu quero um futuro ao seu lado. E se você for preso?
-Eu volto do inferno pra ficar com você Babi... você é minha vida.
Ouvindo essas palavras meu corpo todo tremeu.
Não evitei de deixar cair as lágrimas e Justin rapidamente me abraçou me mantendo em seus braços.
-É Justin... estamos fodidos.
Ele soltou um riso leve e despreocupado.
-Sou Justin Bieber, relaxa, vai dar tudo certo. Não precisa chorar. Eu estou aqui.
A questão era : até quanto tempo?

Acordei e Justin dormia ao meu lado. Ver ele ali, calmo... e mais lindo do que nunca,me fez querer chorar. O que o Justin me disse me fez ficar preocupada. Muito preocupada.
Eu precisava conversar com a puritana, ela podia me ajudar a convencer Justin a fugir. 
Me levantei da cama, coloquei meu robe e sai indo até o quarto que Justin arrumou para a Lily. Era o terceiro maior da casa.
Bati na porta e ouvi o seu "entra".
Lily assim que me viu se levantou da cama que estava sentada.
-O que faz aqui ?
-Precisamos falar sobre Justin.
Ela suspirou.
-Ele é seu. Não precisa ficar insegura. Estou apenas aqui por causa do bebê.
Revirei os olhos.
-Não é sobre isso que vim falar. Me escuta com atenção.-expliquei para ela toda a história e contei a situação que nos encontravámos. Pedi a ajuda dela. 
-Você acha que ele vai me ouvir? Logo o Justin? 
-Claro que vai. Ele ama você.
Ela piscou algumas vezes processando o que falei.
-Ele ama você Babi. 
-Não me venha com essa Lily... ele te ama também não sou boba.  E sei que você o ama também.
-Sim, eu amo.
Aquilo me incomodou. Mas, eu entendia ela. Era difícil não amar Justin Bieber. 
-E então... fala com ele agora?
-Eu vou tentar.
**

P.O.V Justin Bieber 

Abri os olhos e consegui ver Lily ao meu lado me encarando. Me sentei na cama , confuso. Era hoje, meu aniversário .Uma data que eu nunca comemorava. 
-Lily? O que foi?
-Eu preciso falar com você. 
-Falar sobre o quê? Está precisando de algo?
-Babi veio me dizer que o FBI esta atrás de você.
O que? Eu pedi para ela não dizer nada! Droga.
-Lily isso não é assunto pra você. 
-Como não?-ela me olhou surpresa.-Como não é se aqui tem um filho seu?-ela colocou a mão sobre a barriga.
-Você nem confirm...-ela me interrompeu.
-Confirmei sim. Fiz um teste. Deu positivo. 
Fiquei calado. 
Um filho?
-Um filho?-sussurei meio perdido.
-Você esta feliz?
-Muito Lily. -respondi.
-Será que podemos ir fazer os exames e tudo que eu preciso fazer?
-Claro! Hoje... pode ser? Tomamos café e vamos. 
-Ta bom.-ela sorriu.-E sobre o FBI?
-Vamos ao médico e depois, eu penso no que fazer ok?
-Tudo bem.-ela sorriu e me abraçou.-Sei que isso vá parecer estranho mas eu te amo Justin e eu não quero perder você.
Me abracei mais a ela.
-Obrigada Lily, por ser assim.
Lily era uma garota muito doce. E mesmo apesar de tudo, ela continuava assim. 
E aquilo importava muito para mim.
**

Saímos do médico sorrindo feito dois idiotas. Descobrimos que Lily estava de algumas semanas e confirmamos a gravidez e isso só porque paguei uma boa quantia ao médico senão ele enrolaria por muito tempo. O importante era que eu estava feliz. Eu teria um herdeiro. Um herdeiro para quem deixar todo esse império. 
-Quer ir pra algum lugar?-perguntei.-Quer comer algo?
-Melhor voltarmos pra casa, não quero que a Babi fique chateada com você.
Olhei surpreso para ela.
Ela estava se preocupando com a Babi?
-Babi não vai ficar chateada. Eu estou com fome e vou parar no MC.-confirmei á ela.
-Espera... não. Eu também estou com fome mas queria comer cachorro-quente.
-Tudo bem.-lhe dei um sorriso.-Tem um lugar na praça aqui perto que é uma delicia e você vai gostar.
-Sei que vou.
**

Lily e eu estávamos sentados perto da barraquinha de cachorro-quente, comendo. Passar aquele momento ali, longe da mansão,da ameaça de prisão eminente, e longe da intensidade da Babi me fez perceber como as coisas realmente são. Tinha um filha da puta infiltrado na minha equipe dando informações para o FBI. Bastava ele acessar meu computador e pronto. Mas isso não iria acontecer. Antes eu vou o pegar.
E ainda tem trevor. Com toda a correria eu o esqueci por completo. E depois do roubo eu disse que ia matá-lo. Eu não confiava nele porque ele sabia demais. 
Eram tantos os problemas em que eu estava metido que era até difícil pensar neles e logo achar uma solução. 
-No que esta pensando?-a voz de Lily me tirou dos meus devaneios. A olhei e vi seu nariz sujo de mostarda. Ri.-O que foi?-ela sorriu por eu estar rindo.-O que é engraçado?
-Tem mostarda no seu nariz, vem aqui. 
Me aproximei dela e lambi a pontinha de seu nariz, ela se afastou imediatamente.
-Eca Justin!
-Não é nojento. -dei de ombros.
-É sim.-ela curvou seu lábio em uma careta. 
-Náo é não. É apenas mostarda.
-Ta... ta. Mas voltando ao assunto, no que pensava?
-Estou pensando em coisas que eu tenho que fazer. 
-Hm... e sobre o nosso assunto? O que vai fazer a respeito?
-O que posso fazer? Vou descobrir primeiro quem passa as informações pro FBI e depois vou atrás de proteger você e a Babi de toda a merda que fiz.
-Proteger a gente?
Suspirei.
-Quando eu for preso, todos vão mas vocês eu não posso deixar. Não vou deixar. 
Ela ficou quieta e voltou a comer parecendo abalada com o que eu disse.
Afinal, quem não ficava abalado não é?
**

Eu dirigia de volta para casa e Lily estava do meu lado, quieta. Ela não tinha falado mais nada depois da nossa conversa.
-Quer voltar pra casa?-perguntei. Ela me olhou.-Posso deixar alguns homens te protegendo e seu nome, com sorte, ainda não esta envolvido com o meu no FBI...
-Não estou preocupada comigo. Não quero que meu filho tenha um pai preso.
Aquilo me pegou de surpresa. 
-Não vou ficar lá por muito tempo quando me pegarem.
-Por que você não foge e evita tudo isso?
-Não vai adiantar Lily. Eu vou resolver isso do meu jeito. Até lá vamos continuar vivendo normalmente.
Ela assentiu e virou seu rosto olhando s rua.
**

Abri a porta do meu quarto e Babi estava deitada na cama, parecia chorar baixinho. Me livrei da minha camiseta e fui até ela.
-Babi? O que foi?
Passei a mão em seus cabelos e me deitei ao seu lado. Ela me olhou e eu realmente comprovei que ela chorava.
-Não é nada... Se divertiu com a Lily?
-Babi...-suspirei.-Eu apenas fui levá-la no médico. Tem um filho meu na barriga dela.
-Sei que você a ama.
-Não é como eu amo você.
-Mas ela tem um filho, isso te prende ainda mais.
-Não. Eu sou preso apenas em você. 
Coloquei a mão na cintura dela e ela se ajeitou de lado para me olhar melhor.
-Você iria gostar se eu tivesse grávida também?
-Sim mas... agora é um pouco cedo não? Com a Lily foi um acidente.
-É mas... parece que você ficou tão feliz com um filho dela.
-Isso é ciúmes? Babi... por favor, não complica as coisas. Eu sou louco por você, louco. Você entende isso? Não é como se eu pudesse viver sem você, é bem mais que isso. 
-Não tô com ciúmes.-ela se agarrou em mim.-Mas eu fiquei o dia todo sozinha. Almocei sozinha. 
Suspirei e dei um selinho nela.
-Vamos resolver isso então? Eu e você vamos sair hoje a noite.
-Sério?-os olhos dela brilharam.-Onde vamos?
-Lembra quando você disse que ... -sorri me lembrando.-queria andar de balão?
-Lembro. Isso faz uns 3 anos... Eu era bobinha nessa época.
-Bobinha ou não, que tal jantarmos e vermos o pôr do Sol de cima de um balão?
-Sério?-ela ficou surpresa.-Oh meu Deus Justin!
-Sério amor. E eu tenho algo pra você hoje a noite. Para que você seja minha por completo.
-O que?
-Surpresa.
Ela fez um biquinho e eu me aproximei para beijá-la. Várias cenas de como seria hoje se passaram em minha cabeça e eu não pude evitar de pensar em como eu era sortudo por ter ela apenas para mim.


P.O.V Bárbara Smith

Finalmente tinha chegado a noite e eu estava animada. Justin disse para que eu colocasse calça e moletom pois estaria frio e eu apenas obedeci , mesmo querendo colocar um vestido para ele. Vesti uma calça jeans rasgada, um moletom preto e um coturno preto. 
O dia todo ele ficou trancado no escritório com um advogado de confiança dele e não queria que nem eu nem ninguém o interrompesse. Quando me arrumei fui até o quarto de Justin e ele estava passando seu perfume.
-Pronto?
-Pronto.-ele me olhou.-Vamos ? 
-Vamos.-sorri e ele andou até mim entrelaçando nossas mãos.
-Por que eu tenho a impressão que toda vez que você sorri você também sorri com os olhos Babi?
Fiquei olhando para ele um pouco perdida com o que ele tinha acabado de me dizer. 
-Você me deixa sem saber o que dizer...
Ele riu baixinho.
-Essa é a intenção baby.-eu o selei.-Guarde bem esse dia, porque hoje é um dia importante para mim. 
-Importante? Por quê?
-Sei que você não se lembra mas quando estivermos lá no céu,eu te conto. 
Eu apenas assenti tentando me lembrar que dia importante era hoje.
**

Justin, ao contrário do que eu imaginava me levou para jantar no MC. Eu fiquei feliz porque ele estava feliz. Era tão bom ver o homem que amo sorrindo, despreocupado,falando bobagens para mim... sem insinuar drogas ou roubos. Aquilo me deixava feliz e esperançosa em relação a vida.
Fomos para um local muito famoso em L.A mas era bem afastado da cidade. Ainda estava sol e com sorte veríamos o sol se pondo no horizonte.
Quando vi alguns homens enchendo o balão me perguntei se eu ficaria com medo mas com Justin do meu lado eu não teria medo de nada.
Justin conversou com um homem e vi que ele deu dinheiro á ele e então eles vieram até mim.
-Babi, esse é Scoot e ele é o dono daqui.
-É um prazer senhorita.-ele apertou minha mão. Apenas sorri.-Bom, o fim de tarde esta ótimo para um passeio. O balão de vocês esta quase pronto. Poderiam me acompanhar para algumas instruções?
-Claro. Vamos amor.-Justin entrelaçou sua mão na minha e foi me puxando junto dele.
Scoot nos informou o que deveríamos fazer e não fazer quando estivéssemos lá em cima. Era maravilhoso tudo aquilo. 
Quando finalmente entramos no balão e ele começou a subir com a ajuda do instrutor que pilotava o balão meu corpo parecia flutuar. Justin abraçou minha cintura, e começou a sorrir olhando para as nuvens.
-É tão maravilhoso cara....-ele falou.-Você tá sentindo isso? É como se ninguém pudesse nos atingir.
-Ninguém pode.-disse.-E  que dia especial é hoje?
-É meu aniversário.-ele falou baixinho.
Me virei e o encarei.
-Oh meu Deus! Justin! Como eu pude esquecer? Me desculpa!
-Não tem problema amor,você sabe que eu não comemoro. 
-Mas mesmo assim, parabéns.-eu o abracei e dei um selinho nele. -Eu te amo.
-Eu te amo também.
Olhei para o homem que pilotava o balão e ele olhava para frente. Ainda bem.
-O que quer de presente?
-Você.-fiquei roxa de vergonha.
-Justin!-bati de leve em seu braço e ele riu.
-Não é isso. É que... sabe,-ele tirou uma caixinha do bolso.-eu amo você,amo seu jeito, nossas loucuras... e eu quero você pra sempre sendo totalmente minha.
Vi que o homem virou e nos olhou sorrindo. 
-Justin... isso é o que estou pensando?
Ele sorriu e abriu a caixinha. Havia um anel de diamantes dentro dela.
-Babi, quer casar comigo?
Olhei para ele completamente perdida. Eu comecei a chorar e não consegui pronunciar palavra alguma.
-Ei calma.-ele me abraçou.-O que foi?
-Você me pegou de surpresa....
-Estávamos falando sobre casamento e você disse que queria.
-Eu quero. Eu aceito.
Ele pegou minha mão e colocou o anel no meu dedo, em seguida beijou minha testa.
-Não precisa chorar assim...-ele me olhou.
-Estou feliz. Você sabe que isso significa o mundo para mim.
-Se eu soubesse teria feito isso a muitos anos atrás...
-Esse é o momento certo porque agora tenho a certeza que eu quero você pra sempre.
-E eu á você.-ele sorriu.
-Olhem o pôr do Sol.-o homem falou e eu e Justin nos viramos para ver.
Justin me abraçou por trás novamente e sussurou "eu te amo" no meu ouvido.
Com toda certeza eu o amava também.
**

Chegamos em casa quase meia-noite e eu queria fazer uma surpresa pro Justin já que era o aniversário dele ainda.
Subimos pro quarto dele e eu falei para ele esperar lá enquanto eu ia para o meu quarto.
Assim que entrei no meu quarto, procurei pela lingerie mais decente que eu tinha. Essa noite eu não queria nada de selvagem ou agressivo. Queria apenas fazer amor com meu noivo.
Aquela palavra parecia uma loucura para mim. 
Por fim, coloquei uma lingerie rosa toda florida e soltei meu cabelo.
Coloquei meu robe e fui para o quarto de Justin. 
Ele estava na cama, vendo TV. Assim que me viu, deu um sorriso. Fechei a porta do quarto dele.
-Vai dormir aqui?
-Vou.-sorri.
Andei até a TV e coloquei para tocar uma das músicas que Justin gravou. Apenas eu sabia dessas músicas e ele a cantava muito bem. Muito bem mesmo. Ele dizia que era um sonho de adolescente.
A música que eu coloquei se chamava PYD... e ele mesmo tinha escrito.
-Minha música? Tira isso esta ridículo minha voz Babi...
-Não.-o olhei.-Eu adoro essa música. 
-Mas vão ouvir e você sabe que eu não componho mais...
-Relaxa ok?-abri meu robe e ele me encarou boquiaberto.-Apenas eu e você vamos ouvir.
-Você esta mais gostosa ou é impressão minha? Porra Babi!-ele ia se levantar para ir até mim mas eu fiz que não.
-Não não Justin. Fica deitadinho ai... sou eu quem mando aqui hoje. E vamos brincar um pouquinho.
-Tudo bem.-ele sorriu pervertido.-Vamos brincar do quê?
-Vou dançar para você. -falei e ele soltou um grito batendo palmas animado e eu ri.
-Caralho , agora sim!
-Só você mesmo.
Fui até a TV e aumentei o som. Justin se livrou de suas roupas e ficou apenas de cueca sobre a cama.
-É pra deixar bem claro Babi, depois de todo esse showzinho... você não me escapa.
Ri. 
Esse era apenas Justin, sendo Justin. E eu amava isso nele.


Continua...

Primeiramente eu queria agradecer por vocês que comentaram no post anterior serem compreensivas e fofas comigo. Obrigada mesmo pq eu estava com medo de amanhã e agora estou mais calma s2
Consegui escrever esse cap que ficou um pouco pequeno mas eu queria muito postar pq não sei quando vou poder postar e eu estava muito ansiosa para que vcs lessem e eu espero que gostem. Sim,talvez seja precipitado um casamento mas faz parte da história e eles estarem noivos não quer dizer que vão casar no cap que vem então tem mt água pra rolar ainda nessa ib hahahahha Ah,para as leitoras de Maps eu não consegui escrever mas assim que conseguir eu vou postar. Como eu disse eu estava em semana de prova e agora acabou soq eu tenho trabalhos ainda então vou tentando escrever um pouco por dia para postar para vcs. Eu ia postar esse cap antes soq o pc que eu to emprestando tinha quebrado mas graças a Deus ele voltou a funcionar sozinho!!!!!!!!!
Estou querendo reunir vcs novamente num grupo do whatsapp (pq o que tinha deu treta) então se quiserem me passem o número e assim que eu tiver uma boa quantidade eu crio o grupo ok?
Meu snap: thazinha_s (sou viciada kkk)
Insta: wtfstha 
Até o próximo cap meninas, fiquem ligadas no anime que postarei lá em breve beijos!!!!

26 de mai de 2015

Aviso (semana de prova e cirurgias)

Oi meninas, eu estou em semana de prova e esta bem difícil deu conseguir escrever para vcs. Escrevi algumas coisas mas ainda não esta pronto o capítulo (De timber nem maps). Tenho um trabalho de video para editar essa quarta, quinta e sexta também. No sábado vou fazer uma cirurgia odontológica para extrair 2 sisos, e na outra semana vou fazer outra para extrair mais dois sisos. Eu nunca tirei (obvio kkkk) mas apesar deu estar nervosa é algo necessário, então se eu não consegui postar no fim de semana esse é o motivo. Só queria deixar avisado para que vocês não fiquem chateadas.
Beijos, boa semana pra vcs <3

17 de mai de 2015

Timber- Capítulo 14 ''Cornered''

''Porque eu sou apenas humana. E vou cair e me levantar várias vezes.''


-E vamos amor.-eu a abracei pela cintura.-Mas ela vai morar aqui. Você sabe que tem muita gente atrás de mim e assim que souberem de um futuro herdeiro, eu estou completamente ferrado porque eles vão atrás da Lily.
-Olha,-ela me afastou.-você que sabe. Mas se ela estiver aqui, não vai ter nós dois.
Babi se virou e saiu rebolando para dentro de casa. 
Passei as mãos em meus cabelos, frustado.
O que eu faria agora?

Babi bateu a porta do quarto e eu abri logo em seguida. Ela olhou com raiva para mim.
-O que foi? Sai daqui Justin! Vai atràs da sua protegida!
-Babi... dà pra você se acalmar? Me escuta um minuto porra!
-Você tà me dizendo que eu tenho que escutar você falar da santinha e aceitar você ficar comigo e com ela?
-Eu não vou ficar com ela, vou ficar com você mas você tem que saber que ela ta gràvida. Eu preciso cuidar do bebê.
-Isso é só uma desculpa pra ficar com ela na minha cara, eu sei disso.
-Que desculpa Babi? Caralho! Quantas vezes eu tenho que dizer que amo você?
-Me ama? Tem certeza Bieber? Porque eu to começando a duvidar.
-Você acha que eu não amo?-a puxei pelo braço e fiz seu corpo colar no meu.-Você acha que eu tô aqui dizendo que te amo pra quê então? Fala sério Babi!
-Então você e ela terminaram?
-Tecnicamente sim.
-Tecnicamente o caralho!
-Nossa como você é difícil porra! Cansei!
Larguei o braço dela e sai dali. Ela veio correndo atrás de mim.
-Justin! Ta bom vai!
Parei e me virei olhando para ela. Sabia que ela viria atrás de mim.
-Que foi desta vez Babi?
-Ta bom amor , eu deixo ela fica aqui.-ela me puxou para ela e me deu um selinho.
-Só que se você tiver me enganando eu não respondo por mim.
-Não estou te enganando teimosa.-ri e coloquei a mão em sua cintura para um beijo de verdade.
**

-Finalmente eu posso desfrutar dessa fortuna!-gritei e levantei a garrafa de cerveja na mão fazendo Babi rir no meu colo.
-Vamos pra boate hoje?-ela perguntou.
-É uma boa...-Ryan concordou e eu vi que os caras estavam animados pra sai.
-Beleza, fechamos o galpão e vamos direto.-falei.
-Nem pensar, vamos pra casa tomar um banho e depois vamos. Eu preciso me arrumar.
Revirei os olhos e concordei. Eu estava precisava de um banho mesmo.
**

P.O.V Bárbara Smith

Justin tomou um banho ràpido e disse que tinha que sair para resolver um problema e voltaria a tempo que eu terminasse de me arrumar. E ali estava eu, sentada na sala com os meninos e Justin ainda não tinha chegado.
Eu tinha colocado um vestido preto de couro agarrado e um salto preto todo fechado. Justin odiava que eu ficasse mais alta que ele mas eu adorava aquele salto.
-Alguém sabe qual problema o Justin foi resolver?-Ryan perguntou impaciente.
-Ele não falou com ninguém... -Chaz respondeu.-Talvez ele tenha ido buscar a Lily na aula de ballet.
-Não, acho que não. Ela esta no quarto , parece que veio de tàxi...-Jack disse.-Você sabe de alguma coisa Babi?
-Ele também não me disse nada. Não faço...-fui interrompida pela porta sendo aberta. Justin entrou e nos encarou.
-Então todos estão prontos?-ele olhou diretamente pra mim e sorriu.-Pronta Babi?
-Onde você tava?-fui até ele.
-Resolver um problema e comprar uma coisa.-ele deu de ombros.
-Você foi comprar outro carro?
-Não, claro que não. Fui comprar um presente pra você.
-Tà explicado porquê a demora. Tà todo apaixonado ai!-Ryan o zoou.
Ri e o olhei. Ele me encarava sorrindo também.
-Nem adianta me olhar assim não vou te dar agora. Só depois....
-Esse momento tà muito fofo mas eu quero comer umas minas e encher a cara, vamos là!-Jack nos interrompeu.
Justin me deu a mão e abrimos a porta para sair.
**

A música alta tocava e Justin estava agarrado em mim enquanto dançavamos. Havia alguns homens me olhando e eu sabia que Justin estava se sentindo incomodado. Mas havia mulheres olhando para ele também e eu não estava nem ai porque ele era meu.
-Você esta tão gostosa com esse vestido.-ele falou no meu ouvido apertando minha bunda.-Eu não tô aguentando mais Babi.
Olhei para ele e ele mordia os làbios. 
Ri e me agarrei mais a ele.
-Você se excita fàcil Bieber.
-Tô pensando em uma coisa...
-O quê?
-Sexo là em cima...-ele olhou para os camarotes.
-Mas estão todos cheios...
-Eu vou pagar uma boa grana pra te comer là em cima , ninguém vai me impedir.-ele entrelaçou nossas mãos.-Vem.
Antes que eu pudesse pensar ele me puxou.
Justin adorava esse tipo de coisa. E eu adorava tudo que ele adorava. Ele sabia ser exatamente como me deixar louca.
Justin conversou com um dos gerentes da balada que era conhecido dele e deu um bolo de dinheiro na mão dele. Não vi exatamente quanto era, mas era muito. 
Vi que alguns seguranças foram tirar as pessoas de um dos camarotes e elas pareciam não ter entendido nada. Justin me puxou até lá e finalmente conseguimos a privacidade que ele queria.  
O camarote não era como nas boates do Bieber, eram mais sofisticados.
Havia uma pequena mesa no centro com bebidos, um sofá... e havia uma grade para que se pudesse ver a pista e o dj de lá de cima. Tecnicamente quem estava na pista não nos veria. 
-Pronta?-ele me olhou sorrindo. Andei até ele com um sorriso no rosto.
Ele me puxou para junto dele.
-Você sabe que isso é uma loucura né? E se pegarem a gente aqui?
-Paguei uma boa quantia para não ser incomodado. E você sabe, -ele mordeu minha boca.-sou especialista em fazer loucuras.
-Você é sempre assim quando ta apaixonado ou é só comigo? Não tô te reconhecendo...
-Qual é Babi? Vai fica fazendo charme? Vai me dar ou não?-ele falou impaciente.
-Ah, esse sim é você.
Coloquei meus braços envolta do pescoço dele colando mais meu corpo no de Justin.
-Eu te amo marrentinha.-ele sussurou indo me beijar.
-Também amo você Bieber.
**

Olhava Justin tomar sua vodka e tentava compreender como ele conseguia se recuperar tão rápido de uma foda daquelas. Eu fiquei em silêncio porque ele dizia que eu era muito tagarela depois do sexo e agora eu não queria descutir com ele.
-Sabe... -ele me encarou. -Você tá muito quieta.
-Você sempre diz que eu falo demais depois do sexo e que você "quer ficar numa boa". Prefiro ficar quieta pra te agradar.
-Acho que eu gosto desta sua língua afiada falando o tempo todo.
Ele encarou minhas pernas que eu tentava tampar com o vestido mas era curto demais.
-Você é um amor quanto tá todo calmo assim... nem parece você.
-Vou mudar por você. Eu disse. -ele sorriu.-Ah,vou te dar seu presente.
Ele pegou sua jaqueta e tirou uma caixinha do bolso. Em seguida me entregou a caixinha.
-É um anel?-perguntei sorrindo.
-Na verdade não. Não consegui achar nada a sua altura. Realmente não consegui achar nada que combinasse com você desde ouro até diamantes... então eu pensei, ela merece muito mais que um anel. É um presente meu para sua fortuna particular caso acontecer alguma coisa...
Abri a caixinha azul e tinha um saquinho preto dentro. O peguei e o abri.
Havia várias pedrinhas de diamantes ...
-Acho que ai tem um milhão de dólares.
-Justin!-olhei boquiaberta para ele.-Ficou louco? Você esta me dando isso porquê?
-Porque você merece.
-Mas isso é muito... muito mesmo. É muito para um presente.
-Nada é muito para você Babi.-ele acariciou meu rosto com sua mão.
Aquilo estava muito estranho.
-Por que você disse se alguma coisa acontecer?
-Nada Babi. Só falei por falar...
-Bieber, eu te conheço. O que foi?
-O FBI tá na minha cola.
-O que?
-Olha se vamos falar disso melhor irmos pra um lugar mais calmo.
-Então vamos porquê você vai me contar isso direito.
Ele assentiu.
**

Fechamos a porta do quarto de Justin. Devia ser quase uma da manhã. Coloquei meu pijama e nós dois nos deitamos.
Desde que ele falou do FBI eu fiquei preocupada. 
Se o FBI estava na nossa cola... seria o fim.
-Como você sabe que o FBI esta atrás da gente?
-Estão atrás de mim, ainda não me ligaram a vocês. Eu tenho um informante lá.
-Justin, isso é sério? Temos que tomar providências então.
-Já estou resolvendo isso com suborno mas não sei quantos posso silenciar lá dentro.
-E o que vai acontecer?
-Vou gastar muito dinheiro com isso , teremos que fazer outros roubos.
-Assim tão rápido?
-Sim, ou não vamos conseguir pagar todos os homens. Não quero ter que fazer nenhum corte.
Quando Justin se referia a corte isso significava matar. Nenhum homem que trabalhava para ele saia vivo para contar o que se passava dentro da mansão e de todos os negócios. Se Justin o dispensava, ele tinha que matar.
-Se esta chegando a esse ponto porque meu deu os diamantes?
-Eu consigo pagar tudo com meu dinheiro. Mas se eu for preso, você vai precisar de dinheiro pra fugir.
-Você está me deixando preocupada. Fugir?
-Sim Babi. Fugir. E leve Lily com você se ela estiver aqui. Tenho que tomar todas as precauções. Sei que posso estar parecendo louco mas eu sabia que um dia eles me pegariam.
-Para de fala isso!-fui pra cima dele e ele me segurou.-Eu não vou aceitar viver sem você!
-Babi....
O desespero começou a tomar conta de mim.
-Você tem noção de quantos crimes cometeu? Justin, se o FBI te pegar você vai ser condenado a morte. 
Vi que ele parou por um segundo e pensou naquilo.
-Não vou morrer. Antes eu mato um por um.
Rà!
Ri sem acreditar.
-Como se fosse fácil né ? Justin...não faz isso comigo vai? Vamos fugir. Pegamos tudo e vamos para outro país. Recomeçamos.
-Não! Esse é meu território. Não vou pra lugar nenhum.
-Você não entende que se continuar aqui pode ser preso? Não adianta subornar meio mundo se o chefe deles saber sobre você! Esses caras são iguais chicletes. Precisamos de um plano.
-Pensamos nisso amanhã. Não conta pra ninguém, não quero deixar ninguém preocupado.
-Tudo bem...-concordei.-Só não quero viver sem você.
E então ele me empurrou sobre a cama e ficou em cima de mim.
-Admiro toda essa sua marra e seu amor Babi, mas uma vez que eu estive aqui,-ele tocou levemente minha intimidade, o que me fez sentir um choque.-não é fácil eu deixar que viva sem mim.
Mordi meus lábios. Ele não parecia preocupado... ele parecia bem relaxado mesmo com tudo isso acontecendo. Será que o motivo era eu?
Pela primeira vez... eu senti vontade de me casar com Justin. Ter filhos e um futuro ao lado dele. Parar com as drogas e essas vida.
Porra.
Eu realmente não conseguiria viver sem esse homem.
-Justin... você já pensou em se casar?-olhei para os olhos dele e vi que ele ficou surpreso. -Casar e ter filhos...-completei.
-Não. Nunca pensei.... mas com você, eu faria tudo isso.-ele deixou seu corpo cair ao lado do meu e desta vez eu me sentei e o olhei. Ele mantinha suas mãos atrás da cabeça, relaxado.
-Faria?-perguntei sentindo vontade de chorar. -Você faria isso de verdade ?
-O que foi Babi?-ele se sentou e me encarou preocupado.-Por que isso agora?
-Porque eu te amo Bieber. E eu quero um futuro ao seu lado. E se você for preso?
-Eu volto do inferno pra ficar com você Babi... você é minha vida.
Ouvindo essas palavras meu corpo todo tremeu.
Não evitei de deixar cair as lágrimas e Justin rapidamente me abraçou me mantendo em seus braços.
-É Justin... estamos fodidos.
Ele soltou um riso leve e despreocupado.
-Sou Justin Bieber, relaxa, vai dar tudo certo. Não precisa chorar. Eu estou aqui.
A questão era : até quanto tempo?

CONTINUA...

Oi meninas, primeiramente eu queria me descupar pela demora. Fiquei sem pc e agora que arrumei um pra postar ele esligou umas 10 vezes sem brincaeira. Eu estou extremamente nervosa com esse computador mas se eu estou escrevendo isso aqui é que ele parou e desligar, graças a Deus!
UAU, agora sim Justin esta fodido...o FBI esta atrás dele, ai mds... só digo uma coisa: Babi e Justin são muito ''awwwwwn'' juntos!
Espero que tenham gostado apesar de estar bem pequeno. Obrigada pelas views e comentários. Se alguém quiser que eu avise smp que postar, deixe o twitter nos comentários *---*
Beijos e até o próximo capítulo!

Insta: wtfstha
twitter: @WithJustinbr
SNAP: thazinha_s 

Ps: Mil desculpas pelo meu erro, q eu escrevi q ela tava de calça depois vestido e ficou meio confuso. É tanta coisa na cabeça que eu nem me toquei. Já esta td arrumadinho agora *-* 




10 de mai de 2015

Timber- Capítulo 13 "Twists part 2‏

''E eu conheço o seu coração, e sei de tudo. O que ele jamais faria para me machucar.
Mas eu não percebia que me sentia tão confiante. E me sentir tão bem sobre mim mesma.
Ter isso completamente destruído. Por uma coisa. Algo tão estúpido. ''- SG




Ao contrário dele, fui mais além. Escrevi minhas iniciais BS e um "eu amo você" pra ele sempre lembrar que eu o amava.
-Isso parece um tipo de pacto.-ele brincou olhando eu guardar tudo.
-Talvez mas , agora, qualquer vadia vai saber que você tem dona baby.
Ele sorriu e se levantou da cama vindo até mim. Bastou apenas um beijo, pro fogo entre nós acender novamente.
Iríamos ao segundo round.

- E como vamos fazer agora?-perguntei. Justin me mantinha presa em seus braços. Estavamos deitados ainda.
-Temos que conversar isso agora?
-Justin, -olhei para ele.-eu não quero sofrer mais.
-Eu não vou fazer você sofrer mas você tem que ter paciência. Não posso chegar na Lily e terminar de cara... tenho que conversar com ela.
-Tudo bem mas conversa rápido.-ele riu.
-Pra quê a pressa amor? Sou todo seu. 
-Todo meu é?-sorri. 
-Sim.-ele colocou sua mão em meu bumbum do seu jeito sempre possessivo. -Mas é melhor irmos não é?
-Tudo bem.-concordei.
-Ah, e nada de Ryan e nenhum outro pra você ou eu vou ter que voltar a ser o Justin agressivo e dar um jeito nisso. 
-Tá amor,eu sou sua esqueceu?
Ele sorriu e juntou seus lábios nos meus.
Queria poder ficar ali pra sempre.
**

P.O.V Justin Bieber

Quando cheguei na mansão, fui recebido por Lily que chorava desesperadamente. Aquilo realmente me tocou e eu tive que beijá-la senão ela não se acalmaria e Babi não gostou muito disso. 
Tudo bem, eu tinha que confessar que fui meio irresponsável de sair e não avisar Lily. Ela realmente se preocupava.
Depois de falar com os caras e inventar qualquer desculpa , fui com Lily para o quarto. Ambos nos deitamos e ela se agarrou ao meu corpo, ainda se recuperando de tudo.
-Você me assustou...-ela confessou.
-Eu sei mas eu estou aqui não estou?
-Se você sumir mais uma vez eu não sei o que faço... 
Olhei para ela.
-Lily, precisamos conversar.
-Conversar?-ela se afastou e se sentou.-Isso esta me cheirando há algo muito ruim...
-Eu sei.-me sentei também.-E talvez seja algo bem ruim, só queria que soubesse que eu gosto muito de você.
-O que aconteceu?-ela perguntou.
-Você sabe que Babi e eu tivemos um relacionamento, e ela ainda gosta de mim. Acontece que... em meio a toda essa confusão e esses dias que estive fora, eu tive a certeza que também gosto dela e eu não acho justo continuarmos se no fim você pode se machucar.
-Mas... eu achei que fossemos namorados agora e que gostava de mim.
-E eu gosto. Mas acontece que com ela é algo mais forte e eu não posso enganar vocês duas. 
-Justin.-ela abaixou sua cabeça e começou a chorar. 
Oh Lily.
-Não chore anjo, não chore.
Também senti que ia chorar. Lily era importante pra mim.
-Não me deixa não Justin...-ela me encarou.-Eu deixei muita coisa para trás por sua causa.
-Eu sei Lily...
-Não sabe. Você não sabe de nada Justin.
Do que ela falava?
-Lily... eu não sei o que fazer. Não quero magoar ninguém mas....-ela me cortou.
-Você escolheu a mim para magoar não é? 
-Eu não queria magoar você... 
-Eu preciso te contar uma coisa, mas eu preciso que seja em um lugar afastado... será que podemos ir?
-Mas já esta ficando de noite...
-Eu sei mas eu preciso entende? Se você quer me deixar, tudo bem, mas eu preciso dizer algo pra você antes de sair da sua vida.
-Tudo bem... e pra onde vamos?
-Qualquer lugar afastado que você quiser.
Assenti me levantando e ela se levantou junto. O que será que ela tinha para me contar?
**

Estacionei o carro na estrada. Lily queria um lugar afastado e o único que eu me lembrava era meu antigo galpão quase fora da cidade.
Ela abriu a porta e saiu. Mantive o farol ligado para iluminar naquela escuridão e sai também.
Paramos um de frente para o outro. Lily estava de cabeça baixo, chorava baixinho , sofria calada algo que parecia que a qualquer momento gritaria até que ela me encarou.
-Á 5 anos atrás eu perdi meu pai. O nome dele era Luke Adams.
Aquele nome parecia familiar...
-Como ele morreu?
-Mataram ele. Você o matou.
-Eu?-perguntei surpreso.
-Ele era um dos maiores contrabandistas da Colombia e você queria que seu império crescesse, e meu pai não quis ajudar. Eu era uma criança quando ele se foi.
Eu jamais senti remorso por ter matado alguém, mas agora, vendo Lily chorar na minha frente, eu queria morrer. Talvez fosse exagero mas eu cometi muitos crimes e o pior foi ter feito uma garota tão boa quanto ela sofrer. Talvez não existisse redenção para mim á final de contas. 
-Eu sinto muito...-consegui dizer, meio sufocado.
-Sei que sente.-ela sorriu de lado parecendo sincera.-Acontece que eu me meti no maior problema de toda minha vida. Eu conheci um cara, e ele trabalhava pro meu pai.
-Aquele do hospital?-perguntei tentando me lembrar do rosto dele.
-Sim. Paul. O nome dele é Paul. E ... ele me envolveu em um plano para acabar com você. Quando nos esbarramos no parque, não foi coincidência. 
-Espera... você esta me dizendo que me enganou?
-Não, na verdade, eu queria mas algo aconteceu e eu não consegui seguir com o plano. Eu não quero mais seguir com o plano Justin.
-O que aconteceu? 
-Eu me apaixonei por você.
Ao ouvir aquilo senti meu corpo todo se arrepiar. Ela falava a verdade, eu sabia disso. 
-Lily...-a puxei para um abraço e ela começou a chorar. A cada lágrima eu a abraçava mais e mais. 
Eu não podia deixá-la sozinha agora.
-Eu trai meu pai, Paul.... Eu estraguei todo o plano de vingança por você. Eu sei que você ama a Babi mas não se afaste de mim, se você se afastar eu vou morrer Justin. 
Olhei para ela, perdido. Oh Lily. O que você faz comigo?
Eu estava certo que era apaixonado por Babi mas eu gostava de Lily também e não sabia o quanto. 
-Eu não posso ficar com as duas Lily.-disse. -Babi não vai aceitar isso.
-Então fica comigo sem ela saber... -ela me olhou. -Fica comigo só até eu confirmar uma coisa.
-Que coisa?
-Que eu estou ...-ouvimos um barulho de um carro e olhamos para trás.
-Hey amigo você esta atrapalhando a estrada!-um cara gritou.
Lily se afastou e entrou no carro. Eu entrei em seguida e comecei a dirigir de volta para a mansão. Fomos em total silêncio no carro.
Tínhamos muita coisa para pensar.
**

Lily saiu do banho, vestindo uma camiseta minha e se deitou comigo na cama. Queria conseguir me manter afastado mas não conseguia. Ela me atraia. Me abracei á ela e senti seu cheiro doce e gostoso invadir minhas narinas.
-Está cheirosa...-sussurei.
-É seu cheiro.-ela riu baixinho.-Desde que cheguei aqui só uso suas coisas no banheiro. 
-Então eu cheiro bem.-ri com ela.
-A porta esta trancada?-ela perguntou. Seu olhar triste me fez sentir uma enorme excitação naquele momento. Lily estava indegesa, frágil.... ela estava ali para mim.
-Sim. Por quê?
-Não sei o que vai acontecer amanhã mas se eu tiver que ir embora, quero me lembrar de como me fez feliz. Quero que se lembre de mim.
-O que ia me dizer quando o carro nos atrapalhou?
-Depois eu digo... depois que fizermos amor.
-Quer fazer amor comigo? Mesmo depois de ter visto isso?-mostrei a tatuagem para ela sabendo que ela tinha visto e não disse nada.
-Sim, eu quero. Você me tornou mulher nada mais justo do que uma despedida.
-Tudo bem.-sorriu de modo carinhoso e juntei nossos lábios. Lily subiu em cima de mim e eu senti ela rebolar sobre meu membro lentamente.
Espalmei minhas mãos sobre seu bumbum e a incentivei a continuar.
-Te amo.-ela sussurou em meio aos beijos.
-Eu amo você também Lily, de um modo estranho mas amo.
Ela sorriu e tirou a camiseta que vestia revelando seu belo corpo para mim. A coloquei debaixo de mim e comecei a beijar seu pescoço e em seguida seus seios. Ela era perfeita.
A medida que ela gemia baixinho, eu continuava mais e mais... Sugava, mordia,beijava seus pequenos seios e queria poder fodê-los com toda forma que eu pudesse.
Lily, me afastou de repente e gesticulou para que eu tirasse minha box, e assim fiz.
Sem me dar tempo para pensar, ela se colocou em cima de mim novamente e começou a rebolar no meu membro. Ela brincava com ele em sua entrada e eu gemia baixinho, apertando suas coxas e aquilo provavelmente deixaria marcas minhas ali.
Quando estava prestes a gozar daquela maneira, Lily encaixou meu membro em sua entrada e eu a penetrei. 
Caralho!
Aquilo era maravilhoso!
Ela se mexia lentamente, impedindo que eu fizesse qualquer movimento. Ela queria fazer tudo.
Abracei sua cintura e deixei que ela fizesse o que quisesse. Aquela noite eu era dela, e eu a proporcionaria prazer da forma que ela quisesse.
-Vamos mudar de posição...-ela disse.
Concordei e tirei meu membro. Lily ficou debaixo de mim e eu a penetrei me movimentando rapidamente para frente e para trás enquanto a beijava.
Quase em meu ápice, ela gozou.
Continuei me movimentando e fui diminuindo o ritmo até que gozei dentro dela. 
Cai ao seu lado e ela se abraçou a mim.
-Quer saber o que eu ia te contar?
-Sim.
-Acho que estou grávida.
O silêncio foi minha resposta.
**

Abri meus olhos e ouvi um barulho vindo do banheiro. Me sentei na cama e vi a sapatilha de ballet de Lily na cama. 
Ela saiu vestindo apenas seu colan e arrumando seu coquê. 
-Bom dia.-ela disse baixo. 
Ela foi até sua bolsa e colocou um shorts.
-Vai pro Ballet?-perguntei. Obvio que ela iria.
-Sim.
-Vou tomar um banho pra te levar.
-Não, não precisa. Eu vou de táxi.
Me levantei e olhei para ela.
-Você acha mesmo que eu vou deixar você sozinha depois do que você me disse ontem? 
-Não precisa sentir pena ...-ela me encarou.-Eu vou dar um jeito, não se preocupa.
-Dar um jeito? Você acha que isso é brincadeira? Se tem um filho meu ai, eu vou cuidar dele e de você.
-Justin, eu só não quero brigar.-suspirei.-Depois que eu sai do Ballet você me leva pra casa?
-Você vai morar aqui, comigo.
-Justin, isso não tá certo... A Babi precisa de você.
-Ela vai entender. Posso preparar o melhor quarto pra você aqui.
-Eu vou pensar.
-Tudo bem... vou tomar banho pra te levar.
**

-Preciso conversar com você. -disse. Babi apagou seu cigarro e me encarou.
-O que houve? Vi que você saiu com a Lily. Levou ela embora?
-Não, ela foi pro ballet mas acho que temos um problema.
-O que? Você a ama?
-Babi... não é isso. Eu sou louco por você, esse carinho que sinto pela Lily não chega nem perto do que sinto por você mas agora eu não posso deixá-la.
-Por quê?
-Ela esta grávida... na verdade ela acha que esta grávida e até eu ter certeza não posso deixar ela sozinha.
-Por quê? Eu achei que iámos ficar juntos...
-E vamos amor.-eu a abracei pela cintura.-Mas ela vai morar aqui. Você sabe que tem muita gente atrás de mim e assim que souberem de um futuro herdeiro, eu estou completamente ferrado porque eles vão atrás da Lily.
-Olha,-ela me afastou.-você que sabe. Mas se ela estiver aqui, não vai ter nós dois.
Babi se virou e saiu rebolando para dentro de casa. 
Passei as mãos em meus cabelos, frustado.
O que eu faria agora?

Continua...
Primeiro eu queria desculpar o tamanho do capítulo que esta super super super pequeno mas foi o que deu para escrever para que eu pudesse atualizar para vocês. Espero que apesar de pequeno tenha ficado bom.  Então, queria me desculpar pela demora. Eu estava numa semana totalmente complicada. Estava tendo um tipo de gincana na minha escola para arrecadação de alimentos e eu sai praticamente todos os dias para ajudar e eu voltava muito cansada para casa e eu não conseguia fazer nada a não ser dormir, então me desculpem mesmo. Essa semana eu estou cheia de provas menos na sexta, os outros dias eu tenho então talvez o próximo cap seja na sexta se eu não conseguir escrever antes.  Já me perguntaram porque eu apaguei o post da garota que iria postar aqui... Bom, ela era minha amiga. Acontece que tivemos uma briga, que envolveu outra amiga minha e eu me irritei com muita coisa que ela disse sobre mim e tive que tirá-la do blog. Eu nunca tenho certo para afiliadas, por isso prefiro escrever sozinha no blog mesmo assim evito dor de cabeça. Espero que não fiquem chateadas comigo :/
Vou recompensar a falta de qualquer fic aqui com timber vocês vão ver hahahaha e com minha nova ib no anime que eu começo hoje, espero que gostem também. Vou parar de falar que estou falando demais, beijos e até o próximo capítulo! s2s2s2 FELIZ DIAS DAS MÃES PARA AS MÃES DE VOCÊS!
Biology teacher (terminada) :   https://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-biology-teacher-1638097 
Maps (fanfic NOVA): https://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-maps-3397672