5 de fev de 2014

All That Matters 2ª Temporada - Capítulo 27 " A new direction for us "

"Não há nada que possa mudar o que sinto por você. Você è meu maior presente amor."

Acordei com a claridade da janela sentindo meu corpo todo estar dormente.
Estiquei minhas pernas e me despreguicei.
Meus ossos pareciam ter rangido dentro de mim.
Algo escorreu entre minhas pernas e eu me sentei rapidamente assustada com aquilo.
Justin estava ao meu lado. O balancei e ele acordou com o susto.
-O que foi?
-Eu acho que esta na hora...
Seus olhos assustados foram direto para a minha barriga.
-Vai ficar tudo bem, vou chamar minha mãe.
Assenti tombando minha cabeça para o lado enquanto ele se levantava apressado.
A dor invadiu meu corpo como uma granada.
Estava na hora e eu sentia como se fosse explodir.

Os olhos de Pattie adentraram o quarto junto com Ryan e Justin que vinham logo atrás.
-O que vamos fazer agora?-a voz desesperada de Justin me deixou com mais medo ainda.-Não estamos preparados para isso. Ainda faltava um mês!
Ótimo. Eu estava praticamente morrendo de dor e meu bebê queria rasgar minha barriga e o Justin estava preocupado em não conseguir ajudar sua mãe a fazer o parto?!
-Merda!-grunhi olhando para eles.-Chamem minha mãe e a Mel!
Agarrei o lençóis ao meu lado a medida que a dor aumentava. Eu já podia sentir minha mão queimar.
Vi Ryan sair dali e Justin se sentou ao meu lado da cama junto com Pattie.
-Você precisa ter calma agora tudo bem querida?
-Tudo bem.-respirei fundo tentando controlar minha respiração.
-Mad!
Melannie entrou no quarto as pressas enquanto encarava minha barriga assustada. 
-Cadê a mamãe?!
-Ela e o papai já foram trabalhar.
Algo dentro de mim gritou de medo e eu olhei desesperada para Justin.
-Eu quero ela aqui!-exigi á ele enquanto sua cabeça balançava negativamente.
-Eu sinto muito Mad mas não vai dar tempo de chama-la. 
Senti meus olhos marejarem. Eu precisava dela aqui comigo.
-Madison eu vou ter que fazer o seu parto. Não podemos te levar em um médico então você precisa me ajudar e ser forte.
Pattie desviou seus olhos de mim como se me desse tempo para assimilar aquilo.
-Ryan há uma maleta no meu quarto e eu quero que você a pegue. -Ryan assentiu e saiu do quarto. -Melannie eu preciso que você vá até a cozinha e esquente um pouco 2
de água e pegue alguns panos limpos, pode fazer isso?
-Sim ,Pattie.-ela deu um rápida olhada pra mim e saiu deixando apenas Pattie e Justin no quarto comigo.
-O que eu vou fazer?-Justin perguntou um pouco apreensivo.
-Você tem que me ajudar aqui.
Pattie se levantou e ficou de frente pra mim.-Eu vou lavar a minha mão e preciso que você deixe a Mad pronta pra mim ok?
Justin assentiu com sua cabeça e Pattie andou para o meu banheiro.
-Eu estou com medo...-admiti para Justin e ele se levantou respirando fundo.
-Você è a coisa mais preciosa que tenho e eu não vou deixar nada acontecer com você. -ele me descobriu tirando o excesso de lençóis que havia naquela cama.-Abra as pernas pra mim Mad.
Fiz o que ele pediu.
Justin tirou a calcinha que eu usava e em seguida cobriu com o lençol, deixando apenas uma parte para que ele enxergasse.
-Você promete que não vai deixar nada acontecer com meu filho?
Aquelas palavras saíram involuntariamente da minha boca e foi como se Justin se afetasse com aquilo. Ele me olhou e eu percebi que ele estava com tanto medo quanto eu.
Antes que ele pudesse responder minha pergunta.Todos eles, inclusive Pattie, entraram rapidamente no quarto. 
A dor agora era controlada mas eu sabia que ia piorar. 
Ela mal falou com Ryan ou Mel. Eles pareciam já saber o que fazer para ajuda-la.
Mel colocou a bacia com água quente no criado mudo ao lado da cama e ficou segurando os panos em sua mão. Já Ryan abriu a grande maleta de Pattie ao meu lado e eu vi vários 
remédios e instrumentos cirúrgicos ali.
-Eu sei o quanto dói por isso vou anestesiar você. -Pattie me disse indo até sua maleta.-Vamos fazer tudo certo para não machucar você nem o bebê.
-O.K.
As palavras agora mal saiam da minha boca. Parecia que algo tampava minha respiração.
Pattie preparou uma seringa e sem me avisar a aplicou em mim.
-Eu vou estar do seu lado quanto você acordar.-Justin deu um beijo em minha testa e eu senti meus olhos embasarem , sendo tomados pela escuridão.

Não havia nada pior do que aquela dor. Não doía apenas a barriga mas o corpo todo. A anestesia de Pattie não me deixava mexer o meu corpo , nem gritar. Eu não podia ouvi-los o suficiente para entende-los. 
Quando aquilo ia parar?
Eu podia sentir meu corpo todo doer. Eu podia sentir que não tinha mas bebê em mim... Mas porque doía se eu estava com uma anestesia? 
Minha cabeça parecia um turbilhão de pensamentos. Seja o que for que Pattie me deu o efeito não parecia passar tão rápido.
Havia várias coisas pra se pensar nesse momento como em como deve ser o meu bebê... Seu rosto, suas feições. Tudo era um mistério tão grande pra mim e tinha acontecido tão rápido.
Outro assunto importante é nossa segurança. Agora de acordo com Ryan teríamos que atacar com todas as forças ou eles atacariam e dariam um jeito de chegar até mim. 
Justin e eu nunca viveremos em paz senão acabarmos com isso.
Senti meu corpo tremer e parei de pensar em qualquer coisa que estava pensando. Meu cérebro foi forçado a encarar 
a escuridão e então tudo sumiu.

-Você acha que a mamãe vai acordar?
Forcei meus olhos a se abrirem e pisquei algumas vezes me acostumando com a claridade do local.
-Amor!
Ao ouvir novamente a voz do Justin fixei meu olhar nele e vi um sorriso se formar em seus lábios. Em seus braços havia algo enrolado em uma grande manta branca. 
Era o meu bebê.
-É o nosso bebê?- forcei o meu pé na cama e me sentei , não sentindo mais dor nenhuma e percebendo rapidamente que eu estava no quarto dos meus pais. 
-Sim , é nossa filha.
Justin se inclinou mencionando que a daria pra mim segurar e eu sorri tentando não chorar de emoção. Quando o Justin a colocou no meu colo olhei em seu pequeno rostinho. A sensação que eu tive foi como se eu tivesse ganhado o maior presente em minha vida. Sua pele era branquinha, tinha olhos praticamente dourados de tão claros e sua boca,era tão delicadinha e pequenina.


-Ela parece com você meu amor...
Senti a cama tremer ao meu lado e vi que Justin havia sentado ali.
-Ela é tão perfeita...-disse.-Eu nem sei o que pensar...
As lágrimas caíram dos meus olhos, e eu respirei fundo. Minha filha estava em meu braço, e aquilo pareciam tão assustador... Mas maravilhosamente assustador.
-Não chora amor...-Justin deu um jeito de me puxar até seus braços.-Só temos motivos pra sorrir agora. Você deu o maior presente que eu poderia,querer. Não há nada que possa estragar isso agora. Somos uma família. Um família maravilhosa meu amor.
Senti meu coração aquietar-se por  um segundo, tentando ao máximo parar de chorar. Justin tinha razão. Só tínhamos motivos pra sorrir. Talvez esse seja o caminho para estar e ficar bem : sorrir com as pequenas coisas e não ter medo de mostrar seus verdadeiros sentimentos.
-Obrigada.-Justin olhou pra mim um pouco confuso.
-Por que?
-Por você nunca ter saído do meu lado todo esse tempo. Eu amo você Justin e eu espero que ainda tenhamos um final feliz.
-Vamos ter o final mais feliz da história Mad, porque eu amo você, amo nossa filha e eu tenho todos os motivos do mundo pra lutar pela felicidade de vocês. 
Senti um beijo dele em minha testa e me aconcheguei em seus braços junto com nossa filha. 
A partir de agora as coisas realmente tomariam um novo rumo. 


-Vocês já escolheram o nome dessa princesinha?-meu pai perguntou segurando minha filha em seus braços enquanto conversávamos na sala. 
-Ainda não...-Justin respondeu.
-Poderia ser algo com um significado especial.-sugeri.
-Que tal Clara?-Jazzy sugeriu e em seguida se calou ruborizando.-Bom, esqueçam...acho que vocês mesmo querem escolher.-ela se desculpou.
-Eu gosto de Clara.
-Eu também.
Justin sorriu pra mim.
-Então vai ser Clara.-meu pai se levantou e a colocou em meus braços novamente.-Seu nome vai ser Clara meu amor.-beijei suas bochechas rosadas.-Clarinha.
Ela mexeu suas mãozinhas e eu sorri junto com Justin vendo aquilo. 
Como alguém tão pequeno pode fazer você sentir um amor tão grande? Como uma coisinha tão pequena pode mudar sua vida,dessa forma?
Havia muitas perguntas que eu não sabia responder. E outras que eu estava longe de achar uma resposta tão cedo mas eu estava feliz de ter algo tão maravilhoso e só meu. 
-Acho que poderíamos sair para comprar algumas coisas pro bebê...-Ryan sugeriu.-Vamos no shopping e eu não acho que algum anjo possa nos rastrear...
-È seguro?-perguntei preocupada.
-Sim.-Ryan me garantiu.
-Podemos ir eu, as crianças, você e o Justin e deixar a Clarinha com Pattie e o Sr. e a Sra. Beer.
-Então tudo bem.-Justin se levantou do sofá animado.-O quanto antes irmos mais cedo voltamos. 


-Olha aquilo amor!-sorri animada mostrando um macacãozinho rosa para Justin. Ele sorriu apertando minha mão junto a dele.
-Vem vamos comprar.
Justin me puxou dentro da loja.
Estava sendo bom sair e não ter ninguém para nos atrapalhar. Ryan havia levado as crianças para tomar sorvete e Justin e eu estávamos montando o enxoval do nosso bebê sozinhos.
Normalmente se faz isso antes do bebê nascer mas não deu para Justin e eu sairmos e pra falar a verdade, eu tinha esquecido completamente disso.
Depois que saímos daquela loja com milhares de sacola Justin cismou que queria fazer outra tatuagem. Seu corpo tinha muitas que ele já havia feito quando se transformou , então eu não liguei muito e quando ele disse que faria o nome da Clarinha e o meu eu fiquei feliz. 
Justin tentava sempre mostrar o que sentia através de seu corpo e tudo que eu mais queria era ver ele feliz.

-O Ryan nos levou pra assistir um filme!- Jaxon disse todo animado quando nos encontramos com ele.
-Eu não sabia que humanos conseguem filmá-los e fazer algo tão engraçado .
Jazzy sorriu encantada.
-Que bom que se divertiram.-eu disse
Era bom ver eles experimentarem um "pouquinho" da vida humana enquanto estão aqui.
-È melhor irmos já que esta ficando tarde...-Ryan disse e todos assentimos. 


Quando Justin estacionou o carro em frente a minha casa algo parecia não estar bem. 
A porta da frente estava aberta.
Por que a porta estava aberta?

Continua...

Oi meninas tudo bem? Consegui escrever esse cap mais rápido. Esta hórrivel na minha opinião mas eu espero que gostem. Awww o bebê da Mad nasceu e é uma meninas! Estou muito feliz com isso. Agora as coisas realmente parecem que vão tomar um novo rumo, o que acham?
Bom, esse capitulo eu estou postando com a ajuda da minha amiga Andressa e eu queria agradescer ela por estar fazendo isso pra mim. s2
Eu espero que vocês realmente gostem do capítulo. Eu estou inquieta com isso kk. Qualquer coisa vocês sabem onde falar comigo. Muito obrigada pelos comentários, eu amo vocês :)