20 de jul de 2015

Timber - Capítulo 20 ''Prisão de Atlanta''

''Mas será que sou menos santo do que os outros só porque escolhi fumar um baseado e tomar umas cervejas com meus manos? Antes de encontrarmos a paz mundial precisamos encontrar paz nessa guerra" -2Pac ''




-Alô?-ele atendeu.

-Chefe!-era Chaz. Ele parecia estar correndo. -O FBI invadiu a mansão. Prendeu todos menos Jack. Aquele traira estava ajudando os tiras!

-Então era ele...-Justin falou com raiva.

-O quê?-Chaz parecia confuso.-O que eu faço? Eu estou correndo faz um bom tempo e acho que despistei se alguèm me seguiu.

-Venha para onde eu estou escondido.

Justin passou o endereço e desligou. Eu ainda estava em choquê com a noticia. Jack tinha nos entregado para o FBI. Ele tinha nos traido. 


-Eu vou matar aquele desgraçado!-Chaz falava com raiva.-Vou matà-lo e jogar os pedaços aos urubus!

-Calma cara!-Justin pediu.-Jack vai saber o que è bom na hora certa. 

-Que hora?-Chaz olhou pra mim nervoso.-Babi você não vai dizer nada?

E a verdade era que eu estava chocada demais para dizer algo. Jack era como um irmão e agora... Eu só conseguia sentir raiva.

-Justin tem um plano.-disse por fim.-Conte à ele.
Justin contou seu plano ao Chaz que ouviu tudo atentamente. Chaz sabia que era um bom plano e que ele estava entrando nisso para ganhar no final.

-Então Babi vai administrar tudo do Brasil? E se a policia pegar ela?

-Não vão.-Justin disse.-A policia de là è corrupta. 

-E eu? O que vou fazer?

-Você vai com ela. Vai ajudà-la a encontrar o Dante.

-E se esse Dante não querer ajudar? Eu lembro desse cara... ele è bem filha da puta.

O que ele queria dizer com isso? Quem era esse Dante afinal?

-Dante vai fazer o que eu quiser. Tenho um acordo com ele. Agora, sei que tenho alguns dias antes do FBI me achar e eu tenho que treinar a Babi.

Chaz riu.

-Treinar? Isso vai funcionar?

-Vai!-falei determinada.-Eu tô disposta a fazer o que for preciso.

-Vai ter que pintar esse seu cabelinho lindo...-Chaz falou debochado.-Os tiras tem uma foto sua.

Droga!

-Isso não è um problema.-Justin falou.-Você esta nessa Chaz? Posso confiar em você?

Chaz olhou nos olhos de Justin com sua raiva o corroendo por dentro. Ele queria vingança.

-Sempre, irmão.
**

Uma semana depois...

Eu me olhava no espelho e me via outra. Uma outra de cabelo vermelho. Uma outra que seria difícil me acostumar.

-Não ficou ruim...-Justin me dispertou dos pensamentos negativos que eu estava tendo. Sua mão envolveu minha cintura.

-Corta essa!-falei.-Ficou horrível...

-Não ficou.-ele me virou de frente para ele me fazendo olhà-lo.-Você fica gostosa de qualquer jeito.

-Você só pensa nisso?

-Você sabe que não...-Ele suspirou.-O que você tem hoje? 

Sai de seus braços e peguei meu vestido , o colocando. 

-Nada.-respondi.

Ontem Logan havia me ligado. Eu simplesmente sentia culpa. Culpa por ter enganado Justin.

-Nada?-Justin me fez encarà-lo.-Você tà toda irritada, toda pensativa... Quer desistir de mim? È isso?

-Claro que não porra.-suspirei. Eu não ia conseguir continuar mentindo pra ele.-Preciso te contar uma coisa. 

-O quê?-Justin ficou curioso. 

-Eu trai você.-soltei. Os olhos deles disseram tudo. Ele sabia que eu não me referia aos negócios. Ele estava furioso. 

-Eu quero uma explicação.-Ele falou firme.-Eu quero entender porque porra você fez isso antes que eu estoure seus miolos!

Justin segurou forte no meu braço e eu podia jurar que ele me bateria mas ele apenas me olhou. Olhou decepcionado e isso foi pior que tudo. 

-Foi quando você matou o Trevor. Você me chamou de vadia e eu ... eu fui pra casa do Logan. 

-O quê?-Ele parecia surpreso.-Você transou com aquele moleque?

-Não!-me apressei em dizer.-Foi só beijos.Tudo que tive com ele não passou de beijos. 

Justin soltou me braço, me olhando com desprezo. Làgrimas começaram a surgir em meus olhos. 

-È melhor eu desistir.-ele falou depois de um longo silêncio.-Você não ama a mim e sim ao garoto. Um moleque...-pude sentir o desprezo em sua voz. 

-Não!-me desesperei.-Não o amo Justin! Eu amo você caralho! Você!

Seus olhos me analisaram.

-Então prova.-ele falou, arrogante. Aquela voz era a que Justin usava com seus homens. 

-Como?-perguntei. -O que quer que eu faça? 

-Tire o vestido.-ele mandou. Ele iria me foder? Iria me machucar assim?

Tirei o meu vestido, e o deixei cair no chão. 
Fiquei apenas de lingerie. 

-Agora, ajoelhe.-Ele mandou. Suspirei. 
Ele iria me humilhar. Era isso. O pior que eu o ama e eu faria a porra de qualquer coisa para que ele me perdoasse. 

Me ajoelhei no chão e olhei para Justin. Ele sacou sua arma e apontou para mim. 
Fechei meus olhos. Pude ouvir ele soltando a trava de sua arma. 
Se ele se sentia tão traido que precisava me matar, tudo bem mas antes, eu precisava tirà-lo da mira do FBI. 

-Me deixe salvar você primeiro.-falei de olhos fechados. Eu tinha medo. Ele podia atirar em mim e tudo ia dar errado.-Me deixe acabar o plano e se você quiser me matar , me mate depois.-abri meus olhos. Justin ainda apontava a arma para mim. 

-Quer me ajudar mesmo que eu queira te matar?-ele perguntou.

-Eu amo você.-falei firme.-Nunca foi uma brincadeira. Se sente vontade de me matar porque beijei o Logan, ok, eu aceito. Mas antes de morrer eu preciso estar certa que você vai escapar da policia. 

E o inesperado aconteceu. Justin abaixou a arma e a travou novamente a deixando em cima da cama. 

-Isso è mais que uma prova...-ele falou baixo. Justin era o ódio em pessoa. Ele não tinha compaixão, amor, remorso... Mas seu passado o condenava. Ele sabia que todo o amor negado em sua vida existia em mim. Eu era fogo e gelo. Eu era dele. Eu era o fogo que derretia seu coração, e o gelo que o acalmava em momentos de raiva. 

Justin teria sempre o mais verdadeiro de mim, mesmo que ele me mate. Eu era doente por ele? Talvez. Mas eu acreditava em amor após a morte tambèm. 

Justin se ajoelhou na minha frente e me beijou com brutalidade, desespero.  Passei meus braços em seu pescoço, aliviada. 

-Eu amo seu coração.-sussurrei. Justin partiu o beijo e olhou no fundo dos meus olhos.

-Você è meu coração. 

Antes que eu pudesse dizer algo, Chaz entrou no quarto e Justin e eu o olhamos.

-O FBI ta aqui porra!-ele gritou desesperado.-Temos que fugir. 

Justin se levantou me arrastando com ele. 

-Pegue as bolsas!-ele ordenou ao Chaz. 
Chaz saiu pela porta atràs das bolsas com o dinheiro e com roupas para fugirmos. 

-E agora?-perguntei tremendo.-Eles vão nos pegar!

-Não vão!-Justin andou atè o armario de roupas e abriu a porta. Tirou as roupas de sua frente e eu pude ver uma pequena porta ali. Chaz chegou nesse momento.-Esse è um túnel que vai atè a rua.-ele abriu a porta e eu vi uma buraco ali, muito estreito e escuro que descia para o andar debaixo com uma escada. 
Chaz se aproximou e jogou as bolsas pelo buraco em seguida entrou nele e começou a descer. Encarei Justin.

-Me diz que vou ver você novamente?-pedi. Ele me agarrou pela cintura e me beijou. 

-Eu te amo marrentinha. -ele tocou meu rosto com sua mão.-Eu prometo que tudo vai dar certo.

-Eu te amo tambèm.-me separei dele sabendo que eu não tinha mais tempo. Entrei no buraco e comecei a descer. Justin fechou a porta e segundos depois eu pude ouvir uma voz falando "Mãos para o alto, caralho!" 
Justin estava preso.
**


Chaz e eu andavàmos com passos ràpidos. Eu vestia uma calça moletom e uma camiseta jà que sai do apartamento quase nua. Estavamos indo pro aeroporto. Justin havia deixado um jato particular para fugirmos e tinhamos que ser ràpidos antes que os tiras fechassem todos os aeroportos. 
Depois de andar por quase 20 minutos, chegamos em nosso destino. O jato ficou pronto para decolar em cinco minutos.
Tanto eu quanto Chaz estavamos com medo pelo Justin. Sua prisão iria desencadear uma confusão na cidade toda. Nossos inimigos iriam tomar nosso território. Anos de trabalho perdidos mas, tudo parecia não ser importante pois o verdadeiro dono , estava trancafiado numa cela podre.

**

P.O.V Justin Bieber

Olhava aquele filha da puta com raiva. O ar condicionado da sala de interrogatório estava mais gelado que o normal. Havia algemas nas minhas pernas e mãos. 
O agente Stalin me encarava, tentando entender minha mente talvez. 

-Vai abrir o jogo ou não?-ele perguntou pela milèsima vez. 

-Quero um advogado. -falei firme.

-Vamos ver...-ele abriu uma pasta preta sobre a mesa de ferro que eu me apoiava.-Assalto a mão armada, contrabando de armas militares, extorsão, contrabando de drogas em mais de 30 países , roubo em 75 bancos, fabricação e venda de drogas ilegais... A lista è interminável, você tem certeza que um advogado pode ajudar?

Olhei para ele com mais raiva ainda. 

-Você não tem medo de mim certo?-sorri debochado.-Acha que uma prisão vai me deter? Sei onde sua familia mora. 

-Você esta blefando!-ele rosnou.

È , eu estava. 

-Que se dane!-xinguei. 

-Acho bom você baixar a bola bandidinho de merda! Sua situação esta bem feia... Você cometeu tantos crimes em Atlanta e pelo mundo que se pegar 100 anos, serà lucro. 

-Ótimo...-bufei com raiva. 

-Quero que me conte sobre Jacob Hall e Bàrbara Smith. 

-Jacob è o informante de vocês!-cuspi com raiva daquele traidor.-Você deve conhecê-lo. 

-Sei que tem bilhões de dólares envolvidos nesse esquema. Me diga logo e acabamos com isso. 

-Quer saber? Sim, nós três lutamos por isso! -confessei.-Jacob, e Babi trabalhavam para mim mas conseguimos Atlanta com nosso esforço!

-A casa caiu pra vocês Bieber. Acho bom você cooperar. 

-Cooperar è o caralho! Se eu tô aqui olhando pra essa sua cara de merda è por amor! Todo esses bilhões foram por amor. 

Ele riu. 

-Esta me dizendo que fez isso pela garota? Corta essa! Você não tem um coração! 

-Vamos ver se eu tenho ou não quando eu sair daqui e arrancar seu coração com minha pròpria mão!-o ameacei. Ele respirou fundo. 

-Quero que me fale sobre os esquemas. Quero que me informe sobre quem vendia e comprava drogas de vocês. Me diz e serei bonzinho com você e não te colocarei na solitària. 

Ri com desdèm. 

-Por que quer que eu diga? Logo vou sair daqui e recuperar tudo. 

-Você não vai sair. Jacob esta preso. Vamos atràs dos seus comparças e da garota. Vocês vão apodrecer aqui. 

-Você vai se arrepender do que diz.-ameacei. Ele olhou para o agente que estava na porta. 

-Leve esse desgraçado daqui e o coloque na solitària!-ele ordenou.

**

Fazia muito tempo que eu estava na cela vazia e escura. Eles me jogaram là sem àgua, comida ou banheiro. Havia apenas um colchão sujo no chão. 
Meu estômago revirava e eu só conseguia pensar em Babi. O FBI não podia pegar ela ou seria o fim. Eu poderia pedir ajuda ao prefeito Reed ou entregà-lo por aceitar meus subornos. Eu tinha vàrios contatos na política mas aqueles filhas da puta não fariam nada. Eles deviam estar comemorando minha prisão... Mas eu faria todos pagar-inclusive Jack.-com sangue. Muito sangue. 
**

P.O.V Bàrbara Smith , Rio de Janeiro 1:45 a.m 

-Esse è o prèdio.-Chaz olhou o endereço no papel. -Dante mora no apartamento 21. 

Respirei fundo olhando para a praia atràs de nós. Era madrugada e o mar estava agitado. Entramos no prèdio e por sorte , o guardinha dormia com a TV ligada. Fomos direto para o andar onde ficava o apartamento 21.

Eu estava acabada. Meu corpo pedia comida e parecia que eu desmaiaria. Eu estava apavorada mas precisava ser forte. Chegamos no sexto andar e paramos no apartamento 21. Chaz bateu na porta enquanto eu tentava me manter de pè segurando a bolsa cheia de dinheiro. Um minuto depois a porta abriu. O cara moreno, com barba mal feita olhou para nós. Seu corpo era repleto de tatuagem e cheia de músculos. Ele tinha um piercing no nariz tambèm. 

-Justin nos mandou aqui.-Chaz falou. O cara nos encarou e antes que dissesse algo a escuridão invadiu meus olhos e eu apaguei.

Continua...


Demorei mas cheguei lol ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Espero que tenham gostado, e eu agraço muuuuuito os comentários e visualizações. Obrigada de verdade <3333
Vejo vcs no próximo cap :)

insta: wtfstha
snap: thazinha_s

beijos!!!!