29 de out de 2013

All That Matters - Capítulo 4 ''Cinema ''

''Melhor se diferente por ser desconhecido,
do que ser conhecido e ser igual a todos. ''

-É, acho que sim.-sorri envergonhada.
-Será que eu posso ir ao seu trabalho amanhã, outra vez? A gente poderia ir ao cinema, soube que vai passar um filme bem legal...
-Hm, ok. A gente se vê amanhã então. -Ele sorriu e pegou a minha mão. No começo eu achei que ele me puxaria e me beijaria, mas não. Ele levantou minha mão até sua boca e a beijou delicadamente.
-Boa noite Srt. Beer.
-Boa noite.
Entrei em casa e pude ouvir o ronco de seu carro quando ele saiu.
Óh céus! O que foi isso ?

Quando tive a certeza que Justin tinha ido embora , subi para o meu quarto e vi que meu pai estava lá mexendo nas minhas gavetas. Minha mãe provavelmente já tinha ido dormir, ela sempre dorme cedo.
- Papai? -perguntei e ele rapidamente me olhou. -O que esta procurando?
-Anh... É... Filha eu tenho que falar com você.
-Pode falar pai ...
Ele se sentou na cama e bateu no colchão para que eu sentasse com ele.
-Eu estava ahn... Procurando camisinha.
- O que? - arregalei meus olhos.
-Você e o Justin parecem se dar bem e eu não quero que você interrompa sua vida por ...- o interrompi. Qualé, eu não sou tão ingênua assim.
- Pai! Eu e o Justin somos apenas amigos, e eu acho que eu não quero falar sobre isso.
- Mas ele me disse que... Que gosta de você filha.
-Ele disse? -perguntei surpresa.
- Sim ... Ele é um rapaz gentil... Chega a parecer que ele foi criado com muita educação.
Justin disse que gosta de mim? Eu estava chocada. Mal nos conhecíamos e... Tudo bem, eu também gosto dele mas tem algo nele que parece não fazer sentido. As coisas não deveriam ser tão complicadas assim, não mesmo. Como ele pode gostar de mim?
- Somos amigos papai, por favor , não se intrometa como sempre... Você e a mamãe são sempre protetores de mais e acabam me fazendo parecer uma criança de 10 anos que não sabe se cuidar sozinha!
Ele concordou com a cabeça.
-Ok. E oque vocês fizeram hoje?
- Fomos jantar e depois dançar um pouco...
- E você se divertiu?
- Muito papai! -sorri para ele. Ele disse que iria dormir e eu também. Amanhã teria muito trabalho na lanchonete. Tomei um banho rápido antes de me deitar e coloquei meu pijama.
Foi muito difícil dormir com Justin na minha cabeça mas por fim fui vencida pelo meu cansaço.

Acordei de manhã mais do que bem e isso se deve a noite maravilhosa que tive, talvez? Mas nem o fato de que as quartas Lize fica no caixa o dia todo ia me desanimar. Me levantei, tomei meu banho matinal, me arrumei normalmente com uma calça jeans,tênis e uma camiseta, tomei o meu café e fui para a lanchonete.
E lá estava eu, mais uma vez batalhando para pagar minha faculdade. As vezes me martirizo por não trabalhar em algum outro lugar que me pague mais, porém hoje em dia é difícil conseguir emprego sem algum curso ou algo assim. E independente disso tudo. O Sr. Brown me acolheu e me ajudou muito. Eu devia uma a ele.
Comecei o meu trabalho limpando toda a lanchonete junto com os funcionários. Para agradar os clientes, tudo tinha que estar impecavelmente. Quando Lize chegou, ela me fez.milhares de perguntas. Eu simplesmente disse que ela não devia se intrometer e comecei a atender as mesas já que os clientes começaram a chega. O dia foi como qualquer outro. Não havia muitos clientes o que não me fez cansar muito. Quando meu expediente acabou e Justin apareceu na lanchonete foi quase como um choque para Lize novamente. Ele estava lindo e sorria para mim segurando a chave de seu carro em uma de suas mãos. Eu posso dizer até que ele parecia um anjo.
- Oi Mad.-ele me deu um beijo na bochecha me deixando vermelha e eu tentei sorrir para ele. Depois do que houve ontem as coisas ficaram meio estranhas.
- Oi Jus, ahn nós já vamos?
- Claro.- ele pegou na minha mão e me puxou para fora da lanchonete.
Entramos em seu carro e eu percebi que não era o mesmo de ontem. Eu não sabia exatamente de que marca era mais sabia que era caro,isso porque tinha um design diferente dos carros que costumamos ter por aqui.
Fomos até o pequeno shopping de San Juan que era o único lugar da cidade que havia um cinema.
Justin comprou os bilhetes para vermos ''De volta ao Centro da Terra'' , comprou pipoca e refrigerante pra gente e nos acomodamos em nossos lugares.
Eu já tinha assistido esse filme uma vez, mas não me lembrava muito bem por isso estava prestando atenção em cada detalhe quando o filme começou. Justin parecia não se interessar muito. Ele tinha colocado um de seus braços em meu ombro, exatamente como eu imaginava um encontro... Bom, isto é apenas um comentário , quer dizer, que menina não sonho em ter um encontro no cinema, exatamente como eu estava tendo ? E com um garoto tão gentil que nem ele ainda...
Oh céus!  Quem eu estou querendo enganar, é meio difícil se concentrar em algo com alguém me olhando do jeito que ele estava. Virei meu rosto e ele voltou a prestar atenção no filme. Tomei um gole do meu refrigerante e senti seus olhos em mim novamente.
Por que ele me olha tanto?
-O que foi ?-perguntei e ele sorriu.
-Por que?
-Você não para de me olhar...-disse inocente. Ele riu.
-Você é muito bonita Mad...Como não quer que eu te olhe?
Eu não esperava por isso. Minhas bochechas ficaram roxas.
Ele riu novamente.
-Não precisa ficar com vergonha.
-É impossível...-disse .- Você me deixa sem graça dizendo essas coisas...
Ele não disse nada como eu esperava. Ele simplesmente ficou em silêncio e grudou seus lábios nos meus. Desta vez não foi um selinho. Desta vez foi o nosso primeiro beijo de verdade.
Aquilo me causou borboletas em meu estomago. Seu hálito era tão bom, sua boca tão ... macia. Era como se eu estivesse beijando um algodão.
Quando paramos ele sorriu para mim e tirou sua mão do meu ombro entrelaçando sua mão na minha.

Quando o filme acabou Justin estava super estranho, e quando disso isso quero dizer SUPER ESTRANHO MESMO. Ele segurava em minha mão como se não quisesse me perder no meio da multidão que saia da sessão, e andava realmente depressa como se estivesse fugindo de algo. Sua pele estava tão fria ...
-Por que estamos correndo?-perguntei tentando não demonstrar meu nervosismo.
-Desculpa...-ele disse.-Eu e você temos que sair daqui. Não é seguro.
Não é seguro ?
Por que?
O que de perigoso podia ter em um cinema?


Continua...

Oi gatinhas tudo bem ? Obrigada pelos comentários. Acho que o capítulo esta um pouco pequeno , e como eu disse eu estou sem pc. Ai eu escrevo pelo cel e vou no pc do meu tio escondido e posto pra vocês. Amanhã mesmo minha tia vai deixar o note dela comigo e eu vou poder escrever capítulos enormes como eu quero hahahahahah Enfim, muitas pessoas estão me perguntando, o que o Justin é e tudo mais... Eu só peço um pouco de paciência que vocês vão entender com o decorrer da história. Queria pedir a ajuda para divulgar no twitter, e em algumas páginas o blog. Quem puder me ajudar eu vou ficar muito agradecida.
Espero que tenham gostado do capítulo minhas lindas, e que comentem muito pq eu adoro ler os comentários de vocês. 
Como eu já disse no capítulo anterior estou repostando Marry you no Anime, quem quiser acompanhar é só clicar AQUI.
Obrigada por tudo gente, e até o próximo capítulo s2

27 de out de 2013

All That Matters - Capítulo 3 ''O que foi isso?'' 2 MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES NO BLOG!

''E quer saber? É nós mesmo que fazemos os dias perfeitos.''

-Madison ? Uau. Você esta linda!-ele se inclinou e deu um beijo em minha bochecha.
-Obrigada Justin, você também.
E ele estava mesmo. Ele vestia uma calça larga cinza, um tênis amarelo, e uma blusa branca, seguida de um boné também amarelo. Ele parecia tão ... novo e despojado assim.
-Então, para onde quer ir essa noite?
-Eu não sei...-sorri me perdendo naqueles olhos tão lindos.-Eu achei que soubesse onde vai me levar...
-Bom, eu não sei muito bem ... mas acho que primeiro podíamos ir á um bom restaurante, o que acha?
-É uma boa ideia.-ele segurou minha mão e sorriu.
-Então vamos.-assenti com a cabeça e andamos até a porta. Senti o olhar fulminante de Lize em cima de mim, mas tudo que fiz foi ignorar, afinal, era eu quem estava ao lado do garoto mais gentil e bonito que essa cidade já teve.

Justin me levou ao Escalera, um famoso restaurante da cidade, e o mais caro também.  Ele pediu uma mesa para nós dois e pedimos o que iríamos comer. Ele pediu um frango ao molho branco e eu um macarrão com um molho de ervas. Não queria comer demais para não passar mal.
Assim que jantamos e trocamos algumas palavras, disse a ele que havia abrido uma casa de show em San Juan e ele disse para que eu o guiasse até lá. No caminho ele foi me contando sobre sua vida. Não tem quase ninguém da sua família a não ser o seu pai, sua mãe e seus avós... Sempre teve que estudar muito... Mas nas coisas que ele falava, tudo parecia muito superficial. Ele parecia esconder algo, algo muito importante aliás.
Eu ficava imaginando se ele realmente era rico. Digo, não por interesse meu, mas se ele é rico, porque tirar as férias em San Juan e não no Havaí por exemplo ? Ele parecia mentir para mim ao falar da sua vida e isso me incomodava.
Sei lá, talvez fosse coisa da minha cabeça mas talvez não. Mamãe sempre disse que eu tinha o dom para perceber as mentiras das pessoas, e por isso eu tinha que sempre ser sincera.
Quando chegamos a casa de shows, podíamos ver que estava lotada, pois tinha acabado de ser inaugurada e aqui em San Juan, uma casa de show ser inaugurada é praticamente um milagre.
Justin e eu entramos na fila e podíamos ouvir o show auto de alguma banda que se apresentava. Não demorou muito para que conseguíssemos entrar lá dentro.  Pegamos uma mesa e pedimos algo para beber. Várias mulheres olharam para o Justin assim que entramos. Ele parecia causar esse efeito em muitas delas. Era estranho mas era de se imaginar. Ele era realmente bonito, e tinha algo nele, que me parecia muito, muito, muito bom.
-Vamos dançar ?-ele perguntou assim que a banda que se apresentava começou a cantar Far Way do Nickelback.
-Eu não sei dançar...-disse envergonhada. Ele sorriu de lado.
-Eu te ensino.- me levantei  e ele me deu a mão me conduzindo até o meio da pista, onde alguns casais já dançavam.
Justin me puxou junto a ele e segurou firme em minha cintura. Seus olhos encontraram os meus, enquanto a música tocava e lentamente começamos a nos movimentar.

This time, this place
Misused, mistakes
Too long, too late
Who was I to make you wait?
Just one chance, just one breath
Just in case there's just one left
'Cause you know, you know, you know...

That I love you
I have loved you all along
And I miss you
Been far away for far too long
I keep dreaming you'll be with me
And you'll never go
Stop breathing if I don't see you anymore

-Viu ? -ele perguntou.-Não é tão difícil.
-É mesmo...-sorri para ele.
Meu Deus, porquê? Porque ele tem que ser tão lindo ? E, o pior de tudo era seu cheiro. Era tão doce, e tão bom que quase me puxava para ele.
Senti minhas bochechas corarem por pensar nisso.
Qual deve ser o gosto do beijo dele ?
Balancei a cabeça para me livrar desse pensamento e logo ele me olhou e riu.
-Você parece estar no mundo da lua...
-É, eu acho que estou...-sorri para ele.
-Ahn , obrigada por esta noite Mad.
-Obrigada você Justin...
Seus olhos foram diretos em minha boca. Eu realmente queria aquilo. Justin me deu um selinho rápido. Meu corpo todo pareceu vibrar. Foi quase como um choque entre nossos lábios.
-Desculpa.-ele disse se separando de mim.-Eu acho que ...-o interrompi.
-Tudo bem...-disse a ele.-Não foi nada de mais... Não vamos deixar que isso atrapalhe nossa noite, certo ?-ele assentiu com a cabeça.
-Vamos voltar para a mesa?-concordei e dei a mão para ele o puxando para a mesa.
**

-Bom, esta entregue. Ainda não são nem dez e meia, acho que vou ganhar pontos com o seu pai.-Justin riu pelo nariz.
-É, acho que sim.-sorri envergonhada.
-Será que eu posso ir ao seu trabalho amanhã, outra vez? A gente poderia ir ao cinema, soube que vai passar um filme bem legal...
-Hm, ok. A gente se vê amanhã então. -Ele sorriu e pegou a minha mão. No começo eu achei que ele me puxaria e me beijaria, mas não. Ele levantou minha mão até sua boca e a beijou delicadamente.
-Boa noite Srt. Beer.
-Boa noite.
Entrei em casa e pude ouvir o ronco de seu carro quando ele saiu.
Óh céus! O que foi isso ?

Continua...

O cap esta super pequeno mas é que eu estou sem meu pc, e to usando o do meu irmão, e é meio impossível escrever com ele olhando SAUHSAHSAUH eu morro de vergonha. Enfim, logo meu pc vai arrumar e eu vou postar normalmente. Desculpa se eu demorar um pouquinho.
Estou repostando Marry you aqui pra quem quiser ler! (clica aqui)
O blog esta com 2 milhões de visualizações, MUITOOOO obrigada gente!
Beijos, amo vocês. Obrigada pelos comentários s2.

23 de out de 2013

All That Matters - Capítulo 2 ''O garoto mais gentil e bonito que essa cidade já teve. ''

Um sorriso bonito, pode dizer tudo sobre você.

-Deve ser legal lá...-eu disse e ele estendeu o braço, me entregando a toalha.
-Muito obrigada pela toalha.
-Disponha. Quer se sentar para esperar a chuva parar ?
-Claro.-ele assentiu e eu me sentei no sofá para que ele fizesse o mesmo.
Seus olhos me fitavam tanto... A todo momento ele parecia observar tudo...
Por que esse cara esta em San Juan? O que ele faz aqui tão longe de sua casa?
Eram tantas perguntas em minha mente. Ele sorriu para mim e eu me senti muito encabulada.
-Por que esta me olhando?-perguntei.
-Eu acho que encontrei.
-Encontrou o que?
-O que eu procurava.

-O que você procurava?-repeti confusa. Ele abriu um sorriso pequeno em seus lábios, e balançou a cabeça parecendo estar envergonhado.
-Ahn ... eu sei que não nos conhecemos mas ...você quer sair comigo amanhã? Como eu sou novo na cidade eu achei que você poderia me mostrar um pouco dela.
Franzi o cenho. Ele não havia respondido minha pergunta.
-Ahn...-pensei nas palavras certas a dizer. Eu deveria aceitar o convite?-Eu não sei sabe ... eu ... tenho muito trabalho o dia todo e só poderia sair a noite.
-Seus pais não deixam que você saia a noite?
-Eu não sei ... porque eu não costumo sair a noite sem eles...-corei minhas bochechas envergonhada.
-Eu também não deixaria uma garota que nem você andar a noite sozinha por ai ... mas se quiser eu peço a eles... Não vou deixar que nada de mal te aconteça.
-Tudo bem ... eu vou falar com eles então, não se preocupe.
-Ótimo.

-Então você terminou a escola a alguns meses?-Justin me perguntou enquanto tomava o chá que eu havia preparado para ele.
-Sim, e agora estou trabalhando para conseguir pagar minha faculdade... meus pais não são ricos então eu vou levar algum tempo para conseguir o dinheiro.
-Você deveria trabalhar em outro lugar ...aquela lanchonete não me parece pagar bem.
-É, eu sei, mas até agora foi o que eu consegui arrumar ...E você? Trabalha?
-Estou de férias.-ele disse.-Eu trabalho com o meu pai ... no ramo da construção.
-Ele esta no Canadá?
-Sim.-ouvi a porta ser aberta e meus pais entraram, logo olhando para Justin que se levantou.
-Oi pai, ou mãe.-eu sorri meio sem graça. Acho que eu nunca tinha trazido um garoto em casa, e tecnicamente eu não trouxe , ele chegou de surpresa.
-Oi filha.-meu pai deixou suas coisas em cima do sofá e olhou para Justin.-Quem é esse rapaz?
-É meu amigo.-me apressei em dizer e vi que Justin me olhou e sorriu.
-Olá senhor, meu nome é Justin Bieber.-ele estendeu a mão e meu pai apertou.
-Oi, eu sou John Beer  e essa é minha esposa, Elizabeth Beer.-Minha mãe acenou com a cabeça para ele e sorriu.
-É um prazer conhecê-los... Bom,-ele me olhou.-acho que já vou indo, obrigada por me acolher nessa chuva Madison.
-Como você vai ? O seu carro não quebrou ?
-Sim, mas eu dou um jeito ...
-Se quiser eu te levo.-meu pai disse e tanto eu  , quanto Justin o olhamos.
-Não precisa Sr.Beer eu ...-meu pai o cortou.
-Eu faço questão, Mad não tem muitos amigos e eu vejo que você é um rapaz decente e eu não exitaria e ajudar um amigo de minha filha, ai podemos passar e chamar o guincho para pegar o seu carro onde quer que ele tenha quebrado.
-Ahn, muito obrigada então Sr.Beer.
-Vamos então?-meu pai disse.
-Vamos.-Justin disse e se virou me dando um beijo na bochecha.-Amanhã te pego no trabalho.-ele sussurrou tão baixo que eu imaginei se ele realmente tivesse dito aquilo.-Até mais Madison.
-Até.-disse um pouco constrangida. Ele se despediu da minha mãe  e seguiu com o meu pai até a porta.

-Então ele é só seu amigo?-minha mãe perguntou pela milésima vez enquanto comíamos a lasanha que eu preparei e esperávamos o meu pai.
-É sim mãe, eu já disse.
-Ele me pareceu gostar de você.
-Eu o conheci hoje na lanchonete , duvido muito que ele goste de mim ...
-Hm, mas ele é tão diferente, você reparou ?
-Como assim ?
-Bom, não é o fato dele usar roupas boas ou parecer um garoto rico...ele é calmo, e educado. É dificil encontrar garotos assim...
-É isso é verdade...
-Seu pai deve estar fazendo um monte de perguntas para ele.
-Por que a senhora esta falando isso ?
-Bom, porque você nunca traz meninos aqui filha...
Oh não, meu pai não podia me envergonhar desse jeito com o Justin, podia?!

Acordei no outro dia incrivelmente animada. Fui para o banheiro assim que sai da cama e tomei um banho bem demorado. Em seguida, sai e me arrumei :

Quando entrei na cozinha meu pai e minha mãe estavam tomando café e me olharam um tanto surpresos por eu estar se salto. Eu não costumo fazer isso , mas se eu fosse sair com o Justin, acho que eu teria que estar arrumada assim depois do trabalho.
-Bom dia.-disse á eles e me sentei a mesa, á colocando suco de laranja em meu copo.
-Onde você vai assim toda arrumada Mad?-Meu pai perguntou.
-Eu vou trabalhar pai, não vou a lugar algum.-sorri para ele.-Mas ... ahn o Justin me chamou para sair depois do expediente ... isso se o senhor deixar, é claro.
Ele me olhou sério, e em seguida para minha mãe que sorriu para ele e fez que sim com a cabeça o incentivando a deixar.
-Tudo bem, mas ele vai te trazer aqui antes das 11 ok? Não quero você na rua tão tarde da noite.
-Pode deixar pai!
Terminei o meu café e fui para o trabalho.
O dia estava menos movimentado naquela manhã, eu vesti meu avental e anotei os pedidos como sempre. A tarde ... há ! Foi ainda pior, não tinha muitos clientes hoje e quando perguntei para o Sr.Brown ele disse que haviam aberto outra lanchonete na rua e isso me deixou um pouco desanimada.
Quer dizer, pensem comigo. Poucos clientes>menos gorjetas>menos dinheiro para a faculdade>mais tempo trabalhando.
É... o Sr.Brown teria de pensar em um jeito para atrair os clientes a lanchonete, ou estaríamos fritos.
Quando o fim da tarde chegou, alguns clientes começaram a aparecer. Liza, sempre assumia o turno da noite. Ela é a outra garçonete, sobrinha do Sr.Brown e uma odiadora minha, coisa que eu ainda não sei o porque. Quando ela chegou, entreguei o avental para ela e fui me arrumar. Justin já deveria ter chegado mas acho que ele podia se atrasar, afinal não combinamos horário algum. Assim que sai do banheiro dos funcionários, eu o vi.
Justin conversava com Liza, que sorria para ele, exatamente como fazia para todos os caras bonitos que chegava na lanchonete. Ele olhou para mim, e veio em minha direção,fazendo com que Lize me olhasse dos pés a cabeça.
-Madison ? Uau. Você esta linda!-ele se inclinou e deu um beijo em minha bochecha.
-Obrigada Justin, você também.
E ele estava mesmo. Ele vestia uma calça larga cinza, um tênis amarelo, e uma blusa branca, seguida de um boné também amarelo. Ele parecia tão ... novo e despojado assim.
-Então, para onde quer ir essa noite?
-Eu não sei...-sorri me perdendo naqueles olhos tão lindos.-Eu achei que soubesse onde vai me levar...
-Bom, eu não sei muito bem ... mas acho que primeiro podíamos ir á um bom restaurante, o que acha?
-É uma boa ideia.-ele segurou minha mão e sorriu.
-Então vamos.-assenti com a cabeça e andamos até a porta. Senti o olhar fulminante de Lize em cima de mim, mas tudo que fiz foi ignorar, afinal, era eu quem estava ao lado do garoto mais gentil e bonito que essa cidade já teve.

Continua...



Respondendo algumas leitoras :3

Dayani: Não exatamente anjo, eu já estava com essa ideia de anjos e tal, ai eu li Fallen, e eu decidi me inspirar nisso. Mas só me inspirei no fato dele ser um ''anjo'', não no livro todo, pq isso vai ser totalmente diferente.

Amanda C.: História indiana? Como assim ? '-'

Amanda: Um anjo. haha s2

OOi minhas lindas, muito obrigada pelos elogios e pelos comentários, eu fiquei muito feliz. Espero que tenham gostado desse capítulo. Um beijo! Amo vocês s2

21 de out de 2013

All That Matters - Capítulo 1 ''Calafrio''

As vezes, o amor é assim , a primeira vista.


As margens do pequeno riacho de San Juan no Colorado, os animais estão agitados. O corpo de cada um emite um sinal de perigo, aquele sinal de que algo realmente esta errado.
E em segundos, um ruído muito alto atravessa a mente de cada um, e como um sopro, some e no céu uma luz branca, aparece. Em meio a escuridão, ele é jogado contra ao chão, nu, e inconsciente e ali, se abre um grande buraco na terra... Algo inexplicável acontece... ao invés de medo, tudo parecia calmo, e sereno... e aos poucos, o lugar foi tomado pela escuridão novamente.
**

P.O.V Madison

-Mad? O que foi ?-mamãe olhou em minha direção e eu senti meu corpo todo tremer. Era um calafrio estranho.
-Nada...-disse me recuperando.-Só tive uma sensação estranha...
-Hm, tem certeza que esta bem filha? Trabalhar naquela lanchonete pode estar te fazendo mal...
-É claro que estou mãe ...-sorri. Ela era sempre preocupada.-Eu adoro trabalhar lá, e o dinheiro que consigo vai para o meu fundo da faculdade, você sabe...
-Eu sei mas ...-a interrompi.
-Já discutimos isso mamãe.
-Filha, eu  e seu pai não queremos que você vá para longe da gente, será que você vai conseguir se manter? Ser feliz, ou sei lá, sobreviver longe da gente?
-Nossa! Até parece que eu não consigo mamãe! A senhora sabe muito bem que eu tenho capacidade para realizar todos os meus sonhos  , e mesmo que eu não tenha todo o dinheiro do mundo, vou juntar o suficiente para conseguir me manter enquanto faço minha faculdade.
-Filha eu acho que ...-a interrompi novamente.
-Mamãe depois falamos sobre isso, eu to atrasada pro trabalho.-me levantei da mesa e dei um beijo em seu rosto.-Até mais tarde, mande um beijo pro papai quando ele acordar.
-Pode deixar querida.
 ✝

-Bom dia Mad!- o senhor Brown sorriu para mim enquanto eu entrava na lanchonete.
-Bom dia.-sorri de volta e fui até ele para ajudar a arrumar as mesas.
-Você pode ir se arrumar menina  hoje você vai ajudar a servir os clientes.
-Servir?-olhei para ele confusa.
-Sim, acho que você esta preparada para isso não esta?
-Estou.-disse um pouco insegura.-Muito obrigada Sr.Brown!-ele sorriu e gesticulou para que eu fosse me trocar e assim eu fiz.
Fui até a área dos funcionários e peguei meu avental. O coloquei e arrumei meu cabelo em um coque. Lavei minhas mãos e peguei o meu bloquinho para anotar os pedidos e voltei para ajudar o Sr.Brown a arrumar as mesas.
Em menos de uma hora, os clientes quase enchiam a lanchonete. Tinha de empresários que vieram fazer negócios na cidade até estudantes do colégio ao lado.As segundas eram sempre movimentadas e hoje não podia ser diferente. Eu estava sozinha para anotar os pedidos , e o Sr.Brown sabia que eu dava conta do trabalho. Ele entregava os pedidos e Mike e a Susi , os melhores cozinheiros que já vi, preparavam-nos.
Realmente era um lugar aconchegante, e calmo. O Sr.Brown era um ótimo chefe e eu estava feliz de trabalhar aqui.
Me sentei um pouco para descansar e vi que um cliente havia acabado de chegar. Ele se sentou. Nunca tinha visto ele , e isso ficou mais claro quando vi seu rosto. Ele era tão lindo. Era muito difícil ter meninos lindos assim aqui em San Juan.
-Você não vai atendê-lo ?-ouvi a voz do Sr.Brown atrás de mim e assenti com a cabeça, me levantando e indo em direção a mesa que ele havia sentado.
-Bom dia, o que o senhor vai comer?-assim que falei ele me olhou e eu senti um calafrio percorrer o meu corpo, como o de hoje de manhã. Seus olhos eram tão claros, tão intensos que chegaram a me deixar sem graça.-Senhor?-repeti esperando que ele falasse algo mas ele ficou em silêncio.-Ahn ... então o senhor vai beber algo?-perguntei um pouco envergonhada. Por que ele estava me olhando? Por que ele não me respondia?
-Beber?-ele repetiu, fazendo com que eu me encantasse por sua voz. Parecia tão...serena.
-É, eu recomendaria o especial da casa, que é um mix de achocolatado e ...-fui cortada por um som e corei quando percebi que era sua barriga resmungando que precisava  de alimento.
-Eu acho que  vou querer isso e ... -ele pareceu pensar olhando para as mesas ao lado.-Quero um misto quente.
-Ok.-anotei seu pedido e sorri para ele.-Em minutos seu pedido estará na mesa.
Sai de lá e fui entregar o pedido para a Susi.
Oh céus, quem é esse cara?!
Ele me parecia muito estranho...Muito...observador,talvez.
Quando entreguei seu pedido ele pareceu realmente com fome ... era algo muito estranho de se ver aliás. Ele parecia não saber comer... mas estava bem vestido, não podia ser alguém pobre não é ?
Ele me pagou com uma quantia considerável e me deixou uma boa gorjeta o que me deixou feliz.
E quando ele foi embora, ele me lançou um olhar realmente mortal, que me deixou completamente sem chão, pois ele parecia me comer com os olhos, se é que me intendem.
 ✝

Quando cheguei em casa no fim da tarde eu estava morta. Meu corpo estava todo dolorido como sempre. Meus pais ainda estavam no trabalho. Eles têm uma pequeno loja no centro da cidade onde vendem alguns materiais de construção. Andei até o meu quarto e fui tirando minha roupa pelo caminho, assim que entrei no banheiro liguei o chuveiro e comecei o meu banho.
Quando acabei vi que tinha começado a chover, algo muito normal aqui em San Juan pois é uma cidade muito quente é costuma chover bastante. Coloquei o meu pijama e fui para a cozinha.
Eu ainda tinha que preparar o jantar , pois minha mãe chegava cansada do trabalho. Peguei os ingredientes para uma lasanha e assim que terminei a coloquei no forno.
Em seguida fui para a sala e liguei a tv. Sorte a minha que estava passando um filme, eu não estava a fim de ver jornal outra noite seguida. Minha tv não esta lá essas coisas. Essas chuvas recentes fizeram que a antena entortasse e os canais foram prejudicados, e como meu pai não pode subir lá em cima , estamos esperando a boa vontade de alguém que possa arrumar para a gente.
Um trovão cortou o céu e eu desliguei a tv rapidamente ouvindo que alguém estava batendo na porta. Andei até lá e assim que abri,o vi. O mesmo cara da lanchonete. Ele estava ensopado.
Espera, ele esta me seguindo?!
-Oi.-ele disse tremendo seu queixo. -Será que eu posso entrar? Minha casa fica longe daqui e meu carro quebrou na estrada.-ele disse.
Eu devia deixar ele entrar? Ele era um estranho, e bota estranho nisso!
-Entra.-disse contrariando meus instintos e assim ele fez.
Disse a ele para que ele esperasse e subi para pegar uma toalha para ele e assim que voltei ele havia tirado seu casaco e ficado apenas de camiseta, que não estava tão molhada assim.
-Aqui.-entreguei a toalha a ele e ele agradeceu com a cabeça. -Qual seu nome?-perguntei  e ele me olhou nos olhos. Sorri sem graça.-Quer dizer ... eu te vi la na lanchonete e eu percebi que você não é da cidade...
-Eu não sou.-ele disse.-Meu nome é Justin...Justin Bieber, e o seu ?
-Madison Beer. De onde você é ?
-Do Canadá.-ele respondeu.
Isso explica o fato dele não ser bronzeado como o pessoal das redondezas.
-Deve ser legal lá...-eu disse e ele estendeu o braço, me entregando a toalha.
-Muito obrigada pela toalha.
-Disponha. Quer se sentar para esperar a chuva parar ?
-Claro.-ele assentiu e eu me sentei no sofá para que ele fizesse o mesmo.
Seus olhos me fitavam tanto... A todo momento ele parecia observar tudo...
Por que esse cara esta em San Juan? O que ele faz aqui tão longe de sua casa?
Eram tantas perguntas em minha mente. Ele sorriu para mim e eu me senti muito encabulada.
-Por que esta me olhando?-perguntei.
-Eu acho que encontrei.
-Encontrou o que?
-O que eu procurava.

Continua...


OOOOi meus amores, que dia lindo hoje não? To muito feliz com essa ib aiai. Esse foi o primeiro capítulo e eu espero que comentem >.<
Fiz com todo o carinho e espero que vocês gostem.
Bom, como todos sabem eu estou de volta, e espero que me ajudem com a divulgação da nova ib haha, obrigada, beijos.

19 de out de 2013

Sinopse All That Matters - A história de um anjo.




Madison Beer

Uma garota meiga, e com apenas 18 anos é mais determinada do que muitos adultos por ai. Nunca teve muitos amigos, mas tem os seus pais, que são tudo para ela. Ela é tímida, e sonhadora. Tudo que quer é conseguir juntar o dinheiro para pagar sua faculdade, e sair de sua cidade, em buscas de seus sonhos.

Justin Bieber

Misterioso. Ninguém sabe ao certo quem ele é. Diz ter 19 anos, e vir do Canadá, mas será mesmo? Tem um sorriso lindo, e um olhar penetrante, que as vezes é de dar medo em muitas pessoas. Tudo o que ele quer, é fugir da sua própria realidade. Mas será que isso é possível?

**

Em um mundo como este, esperamos de tudo. Nessa vida, temos e vimos de tudo... e isso é só mais uma prova de que o homem esta dominando o universo. Mas no meio disso tudo, surgi uma luz e ele aparece. Seu nome é temido, e ele apenas deu o melhor de si para que isso acontecesse. O Medo toma conta de muitas pessoas, mas quando ele esta perto, não há maneira de explicar o quão calmo fica. Essa, não é uma simples história sobre uma garota apaixonada, ou um amor adolescence, essa é a real faceta de um conto de amor, essa é a história de um anjo.

17 de out de 2013

Capítulo único : O namorado da minha irmã. Por : Thalia Santos


-Fernanda!-gritei pela vigésima vez, e assim que entrei em seu quarto, vi ela, na cama com um cara. -Oh Meu Deus!-fechei meus olhos já percebendo que eles estavam nus.
-Gabi!?-ela disse apavorada.-O que você faz aqui ?
-Quem é este cara Fernanda?! Você esta louca de fazer isso aqui em casa? Se fosse o papai e não eu você estaria ferrada!
-O.k, já nos vestimos.-ela disse e quando eu abri os olhos, olhei o rapaz, de olhos cor de mel, e o cabelo todo bagunçado por causa do que estavam fazendo, se é quem me entendem.-Me desculpa por isso Gabriela, isso não vai se repetir.
Respirei fundo para não brigar com ela. Eu estava muito estourada ultimamente e era melhor não dar um show perto do namoradinho dela.
-Tudo bem Fernanda, mas quem é ele ?
-É o Justin, meu namorado.
-Oi.-disse para ele  e ele sorriu em resposta se limitando a falar.-Eu acho melhor você leva-lo até a porta Fernanda, o papai foi ao supermercado mas já ele esta de volta.
Ela assentiu e eu sai do quarto.
(...)

-Ei, o que faz na minha cozinha garoto ?-olhei para o namoradinho da minha irmã apenas de shorts abrindo a geladeira.
-Oi cunhada.-ele disse cinicamente e voltou a pegar um pouco da gelatina que minha mãe tinha feito.
Arqueei a sobrancelha e fiquei olhando aquela cena.
Até que ele era bonitinho... mas muito, muito sem educação.
Sai da cozinha e deixei que aquele menino e minha irmã se divertissem na casa...Eu estava começando a perceber que ela precisava de um espaço. Meus pais ficam muito em cima dela e ela acaba se sentindo sufocada.
(...)

-Ow você sabe onde sua irmã esta?-olhei para Justin e vi que ele tinha uma expressão cansada.
-O que você esta fazendo aqui ?
-Eu estava dormindo aqui ... só que eu  acordei e ela não estava mais na cama.
-Só pode ser uma praga...-murmurei para mim mesma e vi ele rir.
-Quer saber, enquanto ela não aparece vou ficar aqui com você.-Justin se jogou no sofá ao meu lado e pegou a minha latinha de Schewppes e tomou um gole.
Fiquei boquiaberta.
**

-Eu odeio você Justin! Sai do meu quarto! Sai da minha casa!
-O que esta acontecendo aqui ? -Fernanda bateu a porta na cara de Justin e por sorte não acordou meus pais.
-Ahh Fernanda quer terminar tudo só porque eu não fui ver a apresentação dela na academia de dança...-Justin me respondeu.
-Nossa, as vezes ela é muito dramática.-disse e vi Justin sorrir de lado.
-Eu que o diga.
-Vem, vamos até a cozinha comer alguma coisa enquanto o estresse da Fernanda passa.
Justin assentiu e me acompanhou.
(...)

-Justin é melhor a gente parar de se falar ...-disse olhando para o chão.
-Por que ?-ele se aproximou e me fez olha-lo.
-Eu ... a gente ... ta estranho, ta tudo coisado.
-Eu também acho.-ele riu do jeito que eu falei.
Será que eu estava pronunciando algo que fizesse sentido até agora? Aquele boca dele ... meu Deus , estava me chamando.
-Esta tudo errado.
-É, eu estou sentindo algo muito errado, algo que a Fernanda não pode me ajudar a resolver.
-Como assim? Quem pode te ajudar então ?
-Você.-ele segurou firme em minha cintura e me puxou. Meus olhos pararam e se fecharam. Minha respiração se juntou com a dele, e em instantes lá estava eu, me derretendo por seu beijo doce e malicioso. Um beijo muito perigoso. Oh meu Deus, eu estava beijando o namorado da minha irmã!
(...)

-Ei!-Justin me chamou e eu fingi que não ouvi. Logo senti sua mão me puxando, e eu fui empurrada para o capô do carro.
-Ow!-protestei.
-Você não me ouve!-ele resmungou.-Eu quero falar com você.
-Pode falar...
-Eu quero de novo...
-O que ?
-Seu beijo, você ... Meu Deus Gabriella o que tem em você que me deixa assim ?! Tão... maluco?
-Justin, isso ta errado e a Fernanda ela é minha ...-ele me interrompeu , colando seus lábios nos meus me fazendo ficar quietinha em instantes.
-Foda-se...-ele parou por um instante.-Eu to gostando é de você.
**

-Pra onde estamos indo?!-perguntei e ouvi o motor do carro falhar.
-Espera.-Justin fez sinal para que eu parasse e logo o carro parou de vez.
-Eu não acredito ...-murmurei.
-Droga!-Justin bateu no volante.
**

-Eu não vou tomar banho em um banheiro público, vai que um tarado me vê sem roupa Justin?!
-Eu vou estar aqui  fora Gabi, eu não vou deixar ninguém se aproximar desse banheiro, e você esta toda suja de graxa , precisa de um banho.
-Mas ... é um banheiro público.
-Você não tem essas frescuras não é Gabi ... eu já disse que vou ficar aqui fora te esperando.
-Ta bom, mas se você deixar algo acontecer enquanto eu estiver naquele banheiro, eu te mato.-ele riu e me selou.
(...)

-Onde vocês dois estavam?!-Fernanda veio abraçar Justin e ele se esquivou dando um sorriso sem graça.-O pessoal da escola disseram que vocês sairam juntos de lá.
-Fomos passear um pouco...-menti.-Justin queria uns conselhos.
-Conselhos pra que?-ela nos olhou desconfiada.
-Coisas de homem...-disse já vendo que Justin iria rir do que eu tinha acabado de falar.-Você não precisa saber por enquanto ...-ela deu de ombros e se juntou a Justin, enquanto ele não tirava seus olhos de mim.
**

-O que faz quietinha ai Gabi ?-olhei para minha mãe e dei um meio sorriso. Ela se sentou comigo na mesa.
-Só estou pensando ...
-Isso ta parecendo cara de apaixonada... quem é o cara ?
-O que?-olhei surpresa para ela.-Não é ninguém!
-Você não me engana filha... é algum cara da escola?
-Sim.-suspirei confessando.-Mas ele não é pra mim.
-Porque não?
-Ele tem namorada
-Se ele gosta de você e você gosta dele , isso não é um impedimento.
-É você mesmo mãe que esta falando comigo ?-olhei perplexa para ela e ela riu.
-Qualé filha, eu já fui jovem e eu já passei por isso.
Ri e senti seus braços a minha volta me dando um abraço.
(...)

-A gente tem que conversar ... eu não aguento isso. Eu não quero ficar com a Fernanda, eu ... eu acho que estou amando você Gabi. Será que eu estou maluco?-ouvi sua voz chorosa no telefone e arregalei os olhos.
-Você esta chorando? O que houve Justin ? São duas da manhã!
-Sim...é que...eu queria que você estivesse aqui, comigo, no meu quarto.
-Ai Meu Deus Jus, não chora vai ... por favor...
-Então vem aqui na minha casa, vem ficar comigo amor.
-Amor?-sorri ao ouvir aquilo. Ele me chamou de amor!
-Sim, vem ... por favor!
-Ta...-disse me rendendo. -Já colo ai amor.
Ouvi sua rizada e desliguei.
**

-Justin!-o abracei assim que ele abriu a porta. Ele me puxou para seus braços. Olhei para ele e vi seus olhos vermelhos. Ele realmente estava chorando.
Oh céus!
-Vem, entra.-ele me puxou para dentro de sua casa e me beijou.-Eu estava morrendo de saudades de você!
-Cadê sua mãe? Ela não vai brigar que eu esteja aqui a essa hora?
-Não princesa, ela esta na casa do meu pai, acho que eles se acertaram...-ele deu uma risadinha.-Eu estou tão feliz por você estar aqui!-ele me selou novamente, todo sorridente.
Ri daquilo.
-Só você mesmo Drew! Eu não posso demorar muito ta?
-Ah não... dorme aqui comigo, por favor, por favor, por favor!
-Justin!-o repreendi.-Ficou maluco?!
-Você é maior de idade ué, por favor, fica aqui comigo, eu preciso muito de você hoje.
-Ain Jus...
-Vai amor, só hoje vai...
-Ta bom! Você é insistente, meu Deus...
Ele riu.
-Sabe de uma coisa?
-O que ?
-Eu realmente te amo.
-Também te amo Justin. E muito.

(...)

-SUA VADIA!-Fernanda abriu o meu quarto aos berros e Justin ao seu lado.-EU TE ODEIO SUA DESGRAÇADA ! COMO VOCÊ PODE?!-Justin segurou ela enquanto ela se debatia.
-O que é isso?!-olhei para ela surpresa.-O que você tem Fernanda?
-Eu tive que falar.-Justin disse, e isso me fez perceber o que estava acontecendo.
-COMO VOCÊ PODE FICAR COM O JUSTIN? COMO VOCÊ PODE ME TRAIR ASSIM GABRIELA?!
-Fernanda eu ... eu ...
-VOCÊ O QUE? EU SEMPRE SOUBE QUE VOCÊ ERA UMA VADIA! MEU DEUS! EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO!
-Ei,-Justin a soltou e veio ao meu lado.-não fale assim dela Fernanda. Nós dois erramos,  e eu não tenho culpa de ter me apaixonado por ela. Se formos ver quem tem mais culpa aqui, esse alguém sou eu. A Gabi não é uma vadia, muito pelo contrário. Ela é sua irmã, e você tem que respeita-la.
Fernanda ia falar algo mais ficou quieta. E foi ai que eu percebi, que quando se ama, ou melhor, quando de ama verdadeiramente, tudo, até mesmo sua familia, querendo ou não, deixa de existir um pouco. As vezes você ignora o fato de que, quando esta com alguém deixa muita coisa de lado, mas esta é a realidade. Justin olhou em meus olhos e eu me senti protegida e sabia que depois daquilo, minha vida mudaria completamente. E agora, eu estava com uma pessoa incrivelmente maravilhosa, que eu realmente amo. Em outras palavras, eu sabia, que por mais dificuldades que eu passaria, eu estaria ali de pé, por ele. Exclusivamente, por ele.

FIM


Oi meninas, estou de volta para quem não leu no grupo. Eu queria pedir desculpas por ter excluido o blog. Eu amo vocês e espero que seja bem vinda novamente aqui. Obrigada por tudo, e eu garanto que não deixarei vocês na mão! s2 
Espero que gostei desse capítulo único. Qualquer dúvida me procurem no whatsapp 019982351663 , estou louca pra responder as duvidas de vocês . 
Gostaria que vocês entrassem no grupo, para entender melhor o que eu tenho a dizer. BEIJOS.
GRUPO AQUI 
OUTRAS DÚVIDAS AQUI